Lagoa


Aspetos Geográficos
O concelho de Lagoa, do distrito de Faro, localiza-se na Região do Algarve (NUT I e NUT II). É limitado a oeste pelo concelho de Portimão, a este e a norte por Silves e a sul pelo oceano Atlântico, ocupando uma superfície de 88,9 km2, distribuído por seis freguesias: Estombar, Ferragudo, Lagoa, Porches, Carvoeiro e Parchal.
Em 2005, Lagoa tinha 22 005 habitantes. O natural ou habitante de Lagoa denomina-se lagoense.
Apresenta um clima temperado mediterrânico, com verões quentes e secos e invernos suaves; a precipitação distribui-se de forma irregular ao longo do ano, concentrando-se nos meses de outono e primavera.
Existem alguns recursos hídricos, nomeadamente a ribeira de Alcadarilha e o rio Arade.
O relevo é pouco acidentado, sendo constituído por falésias coloridas, rochedos de forma estranha e grutas, destacando-se o Cotovio (60 m) e o Carvoeiro (86 m). De realçar ainda a Ponta do Altar.

História e Monumentos
As origens do concelho são praticamente desconhecidas, mas pensa-se que algumas localidades estiveram sob o domínio árabe e outras foram importantes centros durante o período medieval. Em 1773 Lagoa foi elevada a vila.
No património arquitetónico e monumental destacam-se:
- o Convento de S. José, que foi construído no século XVIII e ao qual foi adicionada posteriormente uma capela com interiores em talha dourada, onde está guardada uma imagem do santo com o Menino, datada do século XVIII;
- a Igreja da Misericórdia de Lagoa, que está decorada a azulejos de finais do século XVII, possui um altar-mor em talha do século XVIII e alberga uma imagem de Cristo Crucificado do século XVII;
- a Igreja de São Tiago, em Estombar, que é datada dos séculos XVI e XVII, em estilo maneirista, e sofreu alterações no século XVIII, tendo sido introduzidas características do barroco;
- a Igreja Matriz de Nossa Senhora da Luz, da qual resta apenas um portal manuelino na torre sineira, da sua construção original no século XVI. O edifício atual é fruto da reconstrução levada a cabo em finais do século XVIII e inícios do século XIX, uma vez que sofreu danos aquando do terramoto de 1755, e possui características barrocas e elementos neoclássicos. O seu interior alberga uma imagem de Nossa Senhora da Luz do século XVIII, atribuída ao escultor Machado de Castro. São várias as imagens e relicários de épocas passadas que compõem o espólio desta igreja, mas é de relevar a imagem do Menino Jesus deitado numa cama de madeira, em estilo rocaille , datada de finais do mesmo século;
- a gruta de Ibne-Ammar, junto ao rio Arade, onde se encontram achados arqueológicos do Calcolítico e Idade do Bronze;
- o Convento do Parchel, situado perto da localidade de Calvário, que data do século XVII e que não sofreu obras de restauro após o terramoto de 1755, pelo que apenas se podem ver restos de pinturas murais e azulejos e algumas sepulturas e celas de frades;
- a Igreja de Nossa Senhora da Conceição, de arquitetura rural, que possui, entre outras relíquias, altares do século XIV, uma imagem de dupla face (com a Nossa Senhor e Cristo Crucificado) provavelmente do século XV, e uma coleção de pinturas naïf, representando "ex-votos" de marinheiros e pescadores, onde são descritos os milagres da padroeira;
- o Forte de São João de Arade, que, juntamente com a fronteira-fortaleza de Santa Catarina, constituía a defesa do estuário do rio Arade. A sua origem remonta ao século XV e foi ampliado nos séculos XVII e XVIII. Mais tarde, em inícios do século XX, foi adaptado a residência particular, adquirindo traços românticos.
- a Igreja Matriz de Porches, que está construída sobre um edifício do século XVI, de que resta a capela-mor.
- a Ermida de Nossa Senhora da Rocha, em Porches, que não tem data precisa atribuída, embora apresente vestígios visigóticos, dos séculos VI e VII. O seu interior alberga uma imagem da padroeira do século XVI.

Tradições, Lendas e Curiosidades
Neste concelho realiza-se a festa de Nossa Senhora da Luz, a 8 de setembro, e algumas feiras, nomeadamente a Feira de São João, a 24 de junho, e a FATACIL - Feira de Artesanato, Turismo, Agricultura, Comércio e Indústria de Lagoa, durante 10 dias, em agosto.
No artesanato, destacam-se os trabalhos em loiça de Porches, pintura decorativa em mobiliário, pintura decorativa em barro e vidro, pintura em azulejos, olaria, bordados, bonecos de pano e em ferro forjado e miniaturas de barcos.
Uma das personalidades associada ao concelho é o poeta do século XI Ibne Ammar.

Economia
Lagoa é um concelho em que os setores primário (pesca) e secundário (indústrias de conserva de peixe) dominaram a atividade económica até finais do século XIX, mas, atualmente, é o setor terciário, na área do turismo, que desempenha um papel preponderante na economia do concelho. A área agrícola ocupa cerca de 49,7% da área do concelho, predominando os cultivos de frutos secos, frutos frescos, principalmente citrinos, o pousio, os prados e pastagens permanentes e a vinha. No que diz respeito à pecuária, aves, ovinos e suínos são as principais espécies criadas. Este concelho tem uma baixa densidade florestal, da ordem dos 17% da área agrícola útil, o que corresponde a 94 ha.
Apesar de setor secundário ter registado maior importância no passado, são ainda de salientar as indústrias relacionadas com a conserva de peixe e a exploração de sal.
O setor terciário está ligado ao turismo e tem vindo a desempenhar um papel bastante importante na economia do concelho, destacando-se as atividades relacionadas com os desportos náuticos, nomeadamente windsurf, vela, mergulho, esqui aquático e surf.
Como referenciar: Lagoa in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-11-13 12:03:34]. Disponível na Internet: