Laurindo Almeida

Compositor e guitarrista brasileiro, Laurindo José de Araújo Almeida Nóbrega Neto, nasceu no dia 2 de setembro de 1917, em Miracatu, São Paulo, Brasil. Nascido no seio de uma família numerosa e com alguma tradição musical, aprendeu as primeiras noções de música com a mãe, uma pianista amadora. Mais tarde, já com uma guitarra, a sua irmã, Maria, passar-lhe-ia os primeiros conhecimentos de acordes e harmonias. Muda-se para Santos, em caminho para o Rio, onde chegaria em 1935, com as aptidões de guitarrista bastante desenvolvidas. Sozinho e sem dinheiro, passou muitas dificuldades, chegando mesmo a dormir na rua. Com algumas ocupações profissionais precárias e incertas, apenas em 1936 conseguiu um emprego como instrumentista, tocando a bordo de um navio de cruzeiro. Manteria essa ocupação até ao final da década, altura em que seria levado pelo radialista César Ladeira para a rádio Mayrink Veiga. Ali, tornou-se guitarrista residente, tendo tido oportunidade de tocar com os lendários Garoto, Villa-Lobos e Pixinguinha. Desenvolvendo as suas competências como músico durante a experiência na rádio, viria a integrar, em 1947, a orquestra de suporte de Carmen Miranda. O seu desempenho chamaria a atenção do maestro Stan Kenton, na época um dos mais famosos bandleaders do jazz norte-americano. Kenton convidá-lo-ia a juntar-se à sua banda e Laurindo Almeida acabou por fixar-se em Los Angeles por volta de 1950. Gravando muitos discos com Stan Kenton, acabaria por tornar-se um dos expoentes da difusão da bossa nova no mercado americano. As suas gravações com o saxofonista Bud Shank, datadas de 1953, são tidas como um dos exercícios pioneiros do género. A par desses, registam-se ainda os duos com Stan Getz, Charlie Byrd e João Gilberto. Depois da colaboração com Stan Kenton, Laurindo Almeida já não era um desconhecido e, entre algumas gravações a título pessoal, integraria o Modern Jazz Quartet, durante dois anos (1963-64), tocando ao lado dos consagrados Milk Jackson (vibrafone), John Lewis (piano), Percy Heath (baixo) e Kenny Clarke (bateria). Com eles participou em digressões e em sessões de gravação de um álbum. Nos anos 70, fundou o quarteto L.A. 4, com Bud Shank, Ray Brown e Chuck Flores (posteriormente substituído por Shelly Manne, primeiro, e Jeff Hamilton, depois). O grupo correria toda a costa oeste dos EUA, tocando nos principais clubes de jazz, misturando baladas e música brasileira e conseguindo sucesso relevante.

Com uma extensa discografia, Laurindo Almeida gravou um pouco de tudo, da bossa nova ao jazz, das canções tradicionais à música erudita (Bach, Ponce, Villa-Lobos, Chopin, Ravel, Debussy e Tchaikovsky), das composições próprias ao improviso. Colocado recorrentemente ao nível de grandes monstros da guitarra como o pai da guitarra clássica moderna, o espanhol Andrés Segovia, ou o virtuoso belga Django Reinhardt, pela abnegação na defesa do classicismo e versatilidade do seu estilo, Laurindo venceu seis prémios Grammy, além de muitas outras distinções da indústria fonográfica e cinematográfica. Compôs e fez arranjos para mais de 800 produções (destaca-se a série televisiva Bonanza), algumas fitas de Hollywood, a último das quais seria Unforgiven (Imperdoável, 1992), de Clint Eastwood. Viria a falecer, três anos mais tarde, em Los Angeles. A sua obra é, ainda hoje, revisitada em muitas ocasiões e permanece mais conhecida no exterior do que propriamente no seu país natal.
Discografia
1938, Inspiração
1939, Música maestro por favor
1940, Saudades de Matão
1946, Pandeiro manhoso
1949, Concert creation for guitar
1950, Braziliance
1950, Guitar concert
1951, Sueños
1954, Brazilliance, Vol. 1 ? Bud Shank & Laurindo Almeida Quartet
1954, Laurindo Almeida Quartet featuring Bud Shank Vol. 1+2
1956, Goodbye, my lady
1956, Guitar Music in Latin American
1957, Escape from San Quentin
1957, Delightfully modern
1957, Duets with Spanish Guitar
1957, Flamenco fire
1958, Maracaibo
1958, The old man and the sea
1959, Brazilliance, Vol. 2 ? Bud Shank & Laurindo Almeida Quartet
1959, Brazilliance, Vol. 3 ? Bud Shank & Laurindo Almeida Quartet
1959, Cry tough
1960, The Spanish guitar of Laurindo Almeida
1960, Conversations with the guitar
1961, Flight
1961, The guitar worlds of Laurindo Almeida
1962, Viva Bossa Nova!
1962, Ole! Bossa Nova!
1962, Reverie for Spanish guitars
1962, Discantus
1962, Softly, the Brazilian sound. Joanie Sommers
1963, It's a bossa nova world
1964, Guitar music from Ipanema
1964, Modern Jazz Quartet
1964, Broadway solo guitar
1964, Guitar from Ipanema
1966, Stan Getz with guest artist Laurindo Almeida
1970, The magic pear tree
1970, The art of Laurindo Almeida. Deltra Eamon
1971, Background blues and green
1972, Intermezzo
1973 Jazz origin
1974, The L.A. 4 scores. L.A. 4
1975, Concierto de Aranjuez ? L.A. 4
1976, Guitar player
1978, Watch what happens ? L.A. 4
1978, Just friends ? L.A. 4
1978, Concerto de Aranjuez
1979, Chamber Jazz
1979, First concerto for guitar orchestra
1979, Live at Montreux, L.A. 4
1980, First concerto for guitar & orchestra
1980, Zaca ? L.A. 4
1981, Montage ? L.A. 4
1981 Brazilian soul ? Charlie Byrd
1983, Executive suite ? L.A. 4
1984, Artistry in rhythm
1985, Tango ? Charlie Byrd
1989, Music of the Brazilian masters
1989, Jazz
1989, Music of the brazilian masters
1990, Virtuoso guitar
1991, Brazilliance Vol. 2
1992, Concertos for guitar
1992, Baa-too-kee ? Bud Shank
1992, Triple treat
1992, Outra Vez ? live
1994, Dance the bossa nova
1996, Praise every morning
1996, Brazilian reflections
1996, Best of Laurindo Almeida & the Bossa Nova All Stars
1997, The guitar artistry of Laurindo Almeida
1998, The Jazz heritage series
Como referenciar: Laurindo Almeida in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-10-20 10:20:37]. Disponível na Internet: