Leão XIII

Papa italiano, de seu nome Gioacchino Vincenzo Pecci, nasceu a 2 de março de 1810, em Carpineto Romano, perto de Anagni (Lazio, Itália) e faleceu a 20 de julho de 1903, no Vaticano. Procedente de uma família aristocrática da sua região natal, entrou em 1818 para uma escola dos Jesuítas em Viterbo, onde esteve até 1824. Depois transitou para o Colégio Romano (até 1832), fazendo os seus estudos na Academia de Estudos Eclesiásticos, entre 1832 e 1837, escola para nobres. Ordenou-se sacerdote em 1837. Entrou de imediato no serviço papal, enviado como governador (delegado) a Benevento (1838-41) e depois a Perúgia (1841-43).
Em 1843 era consagrado bispo (arcebispo com o título de Damieta), tendo sido logo enviado como núncio apostólico para a Bélgica, regressando em 1846, onde assume o governo pastoral da arquidiocese de Perúgia, cidade hostil desde sempre ao poder papal. Esteve em Perúgia até 1877, ano em que se tornou Camerlengo papal. Antes, em 1853, Pio IX fê-lo cardeal da Igreja. Em 1859-70, deu-se o processo de reunificação de Itália e assunção de um Estado liberal no país, originando-se confrontos a todos os níveis com a Igreja. O cardeal Pecci, no entanto, demonstrou sempre uma visão e postura moderada e dialogante, o que o perfilava cada vez mais como papabile face ao longo pontificado de Pio IX. O seu pontificado, iniciado a 20 de fevereiro de 1878, traduziu-se numa aproximação da Igreja às realidades que o mundo moderno desenhava desde a Revolução Industrial e de todos os avanços científicos e tecnológicos. Criou uma doutrina social da Igreja face aos problemas que o mundo operário impunha, condenando o capitalismo liberal como também o socialismo, pugnando pela valorização do trabalho e da propriedade, valores plasmados na publicação de uma das mais famosas encíclicas da História da Igreja: Rerum Novarum, vinda a lume em 15 de maio de 1891. Trata-se de um autêntico documento sobre o trabalho e a questão social da Igreja nas suas relações com o mundo moderno.
Antes, em 1888, demonstrara uma veia social forte, ao abençoar o Brasil na sequência da abolição da escravatura por aquele país. Foi um defensor das populações católicas na América do Norte contra o "americanismo" que as segregava. Promoveu mesmo a difusão da Igreja Católica na América do Norte. Na Europa, a sua habilidade política e diplomática, realista, puseram fim às hostilidades da Kulturkampf de Bismarck, em 1879, face aos católicos alemães. Para tal, trouxe o imperador Guilherme II a Roma. A mesma habilidade política foi manifestada face à França, nas tensas relações entre a Igreja e a III República. Todavia, face à Itália não passou do confronto político e institucional, incitando mesmo os católicos italianos a boicotarem a vida política do país. Procurou ainda a aproximação aos Anglicanos e aos Ortodoxos gregos, sendo o fundador do conceito ecuménico do século XX. Também nas missões teve um papel reitor de destacar, como também na promoção das ordens religiosas que em boa parte ajudou a restaurar na Europa e lançar em missões nos outros continentes.
Faleceu em Roma a 20 de julho de 1903. É celebrado como o primeiro papa a ser filmado, além de ter introduzido a luz elétrica na Basílica de S. Pedro.
Como referenciar: Leão XIII in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-11-18 03:47:27]. Disponível na Internet: