Artigos de apoio

Lenda das Sete Cidades
Conta a lenda que o arquipélago dos Açores é o que hoje resta de uma ilha maravilhosa e estranha. Vivia nessa ilha um rei que lamentava não ter filhos. Tal dor tornava-o amargo e cruel.

Uma noite, desceu uma estrela muito brilhante dos céus que aos poucos se foi materializando numa bela mulher. Esta prometeu ao rei uma filha bela como o sol, mas impôs algumas condições: desde logo, o rei teria de deixar de ser cruel e passar a ser paciente.

Teria ainda que construir um palácio, rodeado por sete cidades, cercadas por muralhas de bronze que ninguém poderia transpor. A princesinha teria que ficar aí guardada durante trinta anos, longe dos olhos e do carinho do rei.

O rei aceitou logo o desafio. No entanto, decorridos 28 anos, não aguentou mais. Apesar de ter sido avisado que morreria e o seu reino seria destruído, dirigiu-se às muralhas para as destruir. Assim que começou, a terra estremeceu e o mar engoliu a ilha.

No fim de tudo, restaram apenas as nove ilhas dos Açores e o palácio da princesa, transformado agora na Lagoa das Sete Cidades. A lagoa dividiu-se em duas: uma verde, como o vestido da princesa, e a outra azul, da cor dos seus sapatos.


Como referenciar: Lenda das Sete Cidades in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2017. [consult. 2017-03-27 07:31:56]. Disponível na Internet: