Lenda de Machico ou do Amor Imortal

Na corte britânica de Eduardo III, vivia Roberto Machim, um homem sensível e com o dom da palavra. Tinha como melhor amigo e companheiro de armas o fidalgo D. Jorge.

Certo dia, D. Jorge pediu a Roberto para ir com ele esperar a sua jovem e bela prima Ana de Harfet. Inesperadamente para D. Jorge, Roberto e Ana apaixonaram-se.
Os pais de Ana não aceitaram a união com um pretendente plebeu e ordenaram o casamento de Ana com um dos fidalgos da corte. Decidido a lutar por Ana, Roberto foi preso por ordem do rei durante alguns dias, enquanto a cerimónia de casamento se realizava.

À saída da prisão, esperava-o o seu fiel amigo D. Jorge que o informou que Ana estava a morrer de amor. Com a ajuda de D. Jorge, Ana e Roberto fugiram num barco em direção a França, mas uma brutal tempestade desviou a embarcação para uma ilha paradisíaca.

Ana não resistiu à febre e foi enterrada na bela ilha. Conta-se que, anos mais tarde, Roberto sepultou D. Jorge no mesmo sítio de Ana e que morreu em cima da campa.

A pretensa ilha a que aportaram os dois apaixonados é a ilha da Madeira.


Como referenciar: Lenda de Machico ou do Amor Imortal in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2018. [consult. 2018-12-12 14:55:10]. Disponível na Internet: