Leonardo Bruni

Político e homem das letras (1374-1444), também conhecido por Leonardo de Aretino, por ser natural da cidade italiana de Arezzo, combinou a ciência política com o estudo da literatura humanista, uma disciplina sobre a qual chegou a dedicar algumas das suas obras.
No início de Quatrocentos (1405-1415), Leonardo Bruni ascendeu ao cargo de secretário da Curia Papal e, de seguida, desempenhou a função de chanceler dos senhores da República de Florença (1415-1444).
Como um verdadeiro humanista do renascimento italiano, o autor debruçou-se sobre a literatura clássica da Antiguidade greco-latina, que servia de modelo de inspiração para todos os amantes da literatura. Imbuído deste espírito revivalista traduziu obras clássicas da cultura grega de autores como Platão, Aristóteles e Demóstenes. Bruni também se interessou pelos grandes escritores do seu tempo, produzindo detalhadas biografias sobre o poeta Petrarca e sobre Dante Alighieri, o autor da Divina Comédia. Da sua autoria são também o Commentarium Rerum Suo Tempore Gestarum (1440) e a sua obra-prima inacabada a Historiarium Florentini Populi Libri XXI.
Como referenciar: Leonardo Bruni in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-06-17 14:14:59]. Disponível na Internet: