Leonardo Padura

Escritor cubano, Leonardo Padura Fuentes nasceu em 1955, em Havana, onde sempre residiu.
Aos 25 anos licenciou-se em literatura hispano-americana na Universidade de Havana.
Começou por trabalhar como jornalista, profissão que desempenhou durante quinze anos. Especializou-se e destacou-se em jornalismo de investigação e publicou alguns ensaios, como Comentarios al Inca Garcilaso e Lo real maravilloso: creación y realidad, entre outros dedicados à obra de Alejo Carpentier ou sobre o mundo dos policiais. Dedicou-se também à escrita de argumentos de cinema. Em 1991 pegou no seu primeiro romance, um policial, e entregou-o ao presidente da UNEAC, uma instituição estatal, responsável pelas edições literárias em Cuba. O livro foi aceite e Padura lançou Pasado perfecto, o primeiro romance de uma tetralogia intitulada "Las Quatro Estaciones" ("Quatro Estações"), protagonizada pelo tenente Mário Conde, um polícia de Havana com um grande amor à literatura. Esta tetralogia mostra a Havana urbana, diferente da que se costuma conhecer dos catálogos turísticos. Em 1993 lançou Vientos de Quaresma, que foi premiado em Cuba pela UNEAC.
A partir de 1995, seguindo um conselho que recebeu na infância do escritor norte-americano Ernest Hemingway, dedicou-se quase por inteiro à literatura. Nesse mesmo ano ganhou o Prémio Café de Gijón e o Prémio Internacional do Romance Negro graças a Máscaras (Morte em Havana). Em 1998 lançou Paisaje de Otoño (Paisagem de outono), o último da tetralogia. "As Quatro Estações". Com este livro ganhou o Prémio Hammett de 1998, atribuído pela Associação Internacional de Escritores de Romances Policiais.
Morte em Havana e Paisagem de outono estão editados em Portugal, assim como Adiós Hemingway (Adeus, Hemingway), um policial com Mário Conde como protagonista elaborado em 2001 para a coleção Literatura ou Morte, um projeto de uma editora brasileira. Autores internacionais são convidados a escrever romances policiais sobre autores famosos da literatura mundial. Padura escolheu Hemingway que conheceu quando era criança.
Paralelamente, Padura continuou a colaborar com a imprensa e fez entrevistas às maiores figuras basebol cubano, que posteriormente compilou num livro. Também lançou livros de reportagens sobre a presença chinesa em Cuba, a história do rum cubano e sobre as maiores figuras da salsa.
Em 1993 organizou uma antologia do conto cubano do período entre 1966 a 1991.
Como referenciar: Leonardo Padura in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-11-17 23:02:16]. Disponível na Internet: