Letónia

Geografia
País do Nordeste da Europa, a Letónia, um dos chamados Estados Bálticos, faz fronteira com a Estónia, a norte, a Rússia, a leste, a Bielorrússia, a sudeste, e a Lituânia, a sul, e é banhada, a oeste, pelo mar Báltico. Abrange uma área de 64 589 km2. As cidades mais importantes são Riga, a capital, com 687 700 habitantes (2004), e 857 000 na sua área metropolitana, Daugavpils (110 700 hab.), Liepaja (80 100 hab.), Jelgava (54 500 hab.) e Jurmala (50 800 hab.).

Clima O clima é do tipo temperado continental de transição, sofre alguma influência dos ventos de Oeste no inverno e regista precipitação no verão.

Economia
A agricultura produz batata, cevada, trigo, beterraba, legumes e frutos. Em termos de recursos naturais, destaca-se a extração de turfa.
Na indústria tem especial relevância o setor metalúrgico. Também são produzidos recetores de rádio, instrumentos científicos, frigoríficos, máquinas de lavar, motores de motorizadas, navios, veículos automóveis, geradores, instrumentos agrícolas, têxteis e calçado. Os principais parceiros comerciais da Letónia são a Rússia, a Alemanha, a Suécia e o Reino Unido.
Indicador ambiental: o valor das emissões de dióxido de carbono, per capita (toneladas métricas, 1999), é de 2,8.

População
A população da Letónia está estimada em 2 274 735 habitantes (2006), o que corresponde a uma densidade de aproximadamente 35,46 hab./km2. As taxas de natalidade e de mortalidade são, respetivamente, de 9,24%o e 13,66%o. A esperança média de vida é de 71,33 anos. O valor do Índice do Desenvolvimento Humano (IDH) é de 0,811 e o valor do Índice de Desenvolvimento ajustado ao Género (IDG) é de 0,810 (2001). Estima-se que, em 2025, a população diminua para 2 086 000 habitantes. As etnias principais são a letã (57,7%), a russa (29,6%), a bielorrussa (4,1%), a ucraniana (2,7%) e outras (5,9%). O protestantismo (17%) e o catolicismo (15%) são as principais religiões. A língua oficial é o letão.

História
Entre os séculos XIII e XVI, os cavaleiros da Ordem Teutónica dominaram a Letónia. A partir do século XVI, o país foi dividido entre a Polónia e a Suécia. Mas, no final do século XVIII, todo o território foi anexado pela Rússia. Depois de Revolução Russa, em 1917, a Letónia declarou a independência. Após um período conflituoso, a nova nação foi reconhecida pela União Soviética e pela Alemanha, em 1920. Até 1934, quando a ditadura foi estabelecida, a Letónia independente foi governada por várias coligações democráticas. Em 1939, o país foi obrigado a aceitar a instalação de bases militares soviéticas no seu território e, no ano seguinte, o Exército Vermelho Soviético ocupou o país, que passou a integrar a União Soviética. O exército nazi ocupou a Letónia, entre 1941 e 1944, ano em que o Exército Vermelho tomou novamente a Lituânia. Nos anos seguintes, a economia nacional foi coletivizada e seguiu, assim, os padrões soviéticos.
Quando Mikhail Gorbachev começou a liberalizar o regime soviético, em meados da década de 1980, o sentimento nacionalista letão ressurgiu. E, como resultado, em 1991, o país tornou-se independente da União Soviética.
A Letónia aderiu formalmente à União Europeia no dia 1 de maio de 2004 numa cerimónia realizada em Dublin.
Como referenciar: Letónia in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-09-15 15:16:20]. Disponível na Internet: