licopodíneas

A divisão das licopodíneas é constituída por cerca de 15 géneros que abrangem mais de 1100 espécies que vivem nos mais variados habitates do mundo.
As licopodíneas confundem-se por vezes com os musgos, pelo facto de crescerem frequentemente rente ao solo.
No entanto a semelhança é apenas aparente pois trata-se de plantas com o corpo diferenciado em raiz, caule e folhas, que apresentam sistema vascular bem diferenciado. O caule apresenta ramificação dicotómica, isto é, cada ramo origina dois, e as folhas são muito pequenas e com uma só nervura. A maior parte das espécies estão incluídas em dois géneros: Lycopodium com cerca de 400 espécies e Selaginella, com cerca de 700 espécies. Muitas espécies são terrestres, mas também há muitos epífitos. Uma das espécies de Selaginella, a Selaginella lepidophyla, denominada popularmente por selaginela da ressurreição, pela sua capacidade de sobrevivência em muito más condições ambientais, pode ser encontrada em climas desérticos. Durante os períodos secos a planta retrai-se como uma bola e quando começa a época das chuvas expande-se e recomeça a sua atividade fotossintética.
Na planta folhada das licopodíneas diferenciam-se ramos reprodutores, denominados estróbilos, formados por folhas especializadas para a formação de esporos (esporofilos) os quais fazem a propagação da espécie. A planta folhada é, ao contrário do que acontece nas briófitas, o esporófito ou geração esporófita. Está diferenciada em raiz, caule e folhas.
Há espécies que produzem apenas um tipo de esporos, espécies isospóricas, e outras produzem esporos de dois tipos, plantas heterospóricas. Estas produzem micrósporos e macrósporos, assim designados atendendo às suas dimensões. Os esporos por germinação originam os prótalos ou gametófitos, que embora de vida independente são sempre menos desenvolvidos que o esporófito.
As licopodíneas também incluem as plantas do géneros Isoetes que são exclusivamente aquáticas e vivem em vários continentes.
Como referenciar: licopodíneas in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-20 16:53:39]. Disponível na Internet: