Lisa Gerrard

Cantora pop-rock australiana nascida em 1962, em Melbourne. Ainda bastante jovem, aprendeu a tocar acordeão. Durante alguns anos tocou em bares de Melbourne, até que em 1981 conhece Brendan Perry e juntos formam a banda de rock-gótica Dead Can Dance. Em 1995 Lisa estreia-se a solo com o álbum The Mirror Pool, um trabalho onde pôde dar largas à sua imaginação e experimentar sonoridades que dificilmente se encaixariam no estilo dos Dead Can Dance. Lisa usou excertos de melodias que tinha composto, aos quais junta fragmentos de canções tradicionais iranianas e outros temas clássicos, trabalhando-os digitalmente na sua casa de campo na Austrália. The Mirror Pool leva mais longe as tendências dos Dead Can Dance, de exploração da world music, utilizando instrumentos como o bouzouki, as tablas, tambores de pele de camelo, entre outros. O resultado final é um disco com uma atmosfera sombria e barroca, para isso contribuindo também a participação especial da Victorian Philharmonic Orchestra. Após uma reunião com Perry que resulta na gravação de Spiritchaser e em mais uma digressão dos Dead Can Dance, Lisa Gerrard começa a trabalhar no sucessor de The Mirror Pool. Em 1998 é editado Duality, um álbum que é escrito e interpretado em parceria com Pieter Bourke. Além de tudo isto, a cantora desdobra-se em participações em discos de outros grupos como os This Mortal Coil, bem como em numerosas bandas sonoras, por exemplo, de filmes como Gladiador ou O Informador.
Em 2003, a cantora voltou a ser escolhida para escrever uma banda sonora, neste caso do filme Whale Rider (A Domadora de Baleias), que rendeu uma nomeação para o Óscar de Melhor Atriz à jovem Keisha Castle-Hughes.
Lisa Gerrard regressou em 2004, em colaboração com o compositor irlandês Patrick Cassidy, no trabalho Immortal Memory. O disco foi geralmente bem acolhido pela crítica, sendo considerado uma espécie de banda sonora sem filme. O registo afasta-se um pouco do ambiente medieval habitual na cantora e recorre a diversos espirituais latinos, aramaicos e celtas, numa fusão perfeita, apelando a cenários de amor, fé e solidão.
Como referenciar: Lisa Gerrard in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-25 01:08:31]. Disponível na Internet: