Livros de Marinharia

Entre os séculos XII e XIV deu-se um grande avanço na arte de marear em Portugal, impulsionado pelo surgimento da vela latina, pelos conhecimentos dos árabes, italianos, biscainhos e catalães e pela obra de Afonso X de Castela, os Libros del Saber de Astronomia.
Contudo, era nos variados apontamentos dos navegadores, compilados nos posteriormente chamados livros de marinharia, que nos séculos XVI e XVII se registavam os mais diversos elementos necessários à navegação, desde noções de cosmografia e diários de viagens a tábuas de declinação do Sol, roteiros, regimentos das estrelas mais importantes, informações referentes às marés e calendários, entre outros.
Em 1903 foi editada por Brito Rebelo uma compilação de textos do século XVI atribuídos a João de Lisboa e denominados pelo editor de Livro de marinharia, generalizando-se então a designação.
Dos livros de marinharia publicados destacam-se o Livro de Marinharia de Bernardo Fernandes (ed. 1940), o Livro de Marinharia de André Pires (ed. 1963) e o Livro de Marinharia de Manuel Álvares (ed. 1969), todos eles da centúria de 1500.
Como referenciar: Livros de Marinharia in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-04-21 09:39:25]. Disponível na Internet: