Lomé

Aspetos Geográficos
Capital e maior cidade do Togo, Lomé situa-se no extremo sudoeste do país, muito perto da fronteira com o Gana, encaixada entre uma lagoa, a norte, e o oceano Atlântico, a sul. Possui um clima tropical bastante quente. Tem cerca de 730 000 habitantes (2006).
História e Monumentos
A cidade foi fundada no século XVIII por uma tribo local. Rapidamente, esta foi sendo substituída pela presença europeia - ingleses e sobretudo alemães -, transformando a cidade num polo económico de relativa importância. Em 1897, tornou-se a capital colonial da Togolândia, dominada pelos alemães. Desenvolveu-se particularmente a partir do porto construído em 1904, mas foi tomada pelos franceses em 1914, na Primeira Guerra Mundial. Colonizada pelos franceses, a cidade continuou a desenvolver-se e a enriquecer as suas infraestruturas. Em 1960, passou a ser a capital do Togo independente. Entre 1975 e 1979, foi palco de conferências em que foram assinadas convenções sobre o auxílio a muitos países subdesenvolvidos e sobre as relações comerciais entre estes e a Comunidade Económica Europeia. Esse histórico pacto económico ficou conhecido como Convenção de Lomé. Os principais monumentos da cidade são o Museu Nacional do Togo, situado no Palácio do Congresso, e a Catedral de Lomé.
Aspetos Turísticos e Curiosidades
Lomé é uma cidade que conjuga a tradição com a modernidade e os traços coloniais com as características locais. Tem uma bela avenida marginal decorada com palmeiras e bons hotéis. No mercado local, distribuído por três andares, encontram-se tecidos provenientes de toda a África Ocidental, joias e artesanato local. Para além da arquitetura colonial presente no centro da cidade, podem encontrar-se diversos edifícios modernos, designadamente alguns hotéis. Possui também uma Universidade, fundada em 1965.

Economia
Lomé é o centro da economia togolesa e a partir do seu porto de águas profundas exportam-se fosfatos, cacau, café, algodão e óleo de palma. Este porto, que alberga igualmente uma refinaria de petróleo, também é usado pelo Mali, Burkina Faso e Níger, países que não possuem fronteiras marítimas. A cidade tem também uma boa oferta hoteleira, o que permitiu um assinalável desenvolvimento turístico, apesar da instabilidade política que se iniciou no começo dos anos 90.a
Como referenciar: Lomé in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2021. [consult. 2021-05-10 05:06:02]. Disponível na Internet: