Louis-Ferdinand Céline

Escritor francês, de nome verdadeiro Louis-Ferdinand Destouches, nascido em 1894, em Courbevoie, no Sena, e falecido a 1 de julho de 1961, em Paris, vítima de um aneurisma. O escritor cresceu em Paris, mas estudou no estrangeiro, nomeadamente na Saxónia e em Inglaterra. Em 1912, alistou-se na cavalaria francesa e, dois anos mais tarde, combateu na Primeira Guerra Mundial, onde foi gravemente ferido. Em 1916, foi trabalhar para os Camarões, mas teve de regressar a França por se encontrar doente, com malária e disenteria. Em 1924, licenciou-se em Medicina na Universidade de Paris, exerceu a profissão de médico durante um ano e, de seguida, optou por ir trabalhar para a Liga das Nações. Esse novo trabalho levou-o a viajar constantemente para países como Suíça, Camarões, Estados Unidos da América, Canadá ou Cuba. De novo em Paris, em 1928, abriu um consultório médico e, três anos mais tarde, passou a trabalhar numa clínica. Nesta época, começou a dedicar-se à escrita. O seu romance de estreia, Voyage au Bout de La Nuit (Viagem ao Fim da Noite), editado em 1932, sob o pseudónimo Louis-Ferdinad Céline, obteve grande sucesso, tendo ganho a edição desse ano de um conceituado galardão literário francês, o Prémio Renaudot. A obra tem elementos autobiográficos e cobre o período de vida do autor entre 1913 e 1932. Quatro anos mais tarde, lançou o seu segundo romance, Mort à Crédit, desta vez dedicado à sua infância. No ano seguinte, após uma visita à União Soviética, escreveu um ensaio intitulado Mea Culpa, onde manifesta o seu desencanto com o comunismo. Entretanto, começou a escrever o seu terceiro romance, mas interrompeu o processo para se dedicar à tarefa de tentar evitar que a França entrasse num novo conflito mundial. Nesse sentido, escreveu textos polémicos, dois deles proibidos por ordem do tribunal por serem antissemitas. De qualquer forma, durante a Segunda Guerra Mundial, trabalhou voluntariamente como médico num navio de guerra francês, que viria a ser afundado por um submarino nazi. Depois da França ter sido invadida pelos alemães, Céline trabalhou em diversos hospitais municipais e, ao mesmo tempo, escreveu Guignol's Band, cuja ação decorre em Londres durante a Primeira Guerra Mundial.
Apesar de ter sido considerado um herói nacional de França na Primeira Guerra Mundial, acabou por ser acusado de colaborar com os nazis durante a Segunda Guerra Mundial. Quando os Aliados libertaram França, foi acusado de traição e obrigado a fugir para Berlim. No entanto, acabou por ser preso por algum tempo.
A seguir, juntamente com a mulher, mudou-se para a Dinamarca, mas também aqui esteve preso durante um ano, por uma denúncia da Resistência Francesa. Foi julgado e condenado à revelia em França e só regressou ao seu país em 1951, graças a uma amnistia. Passou então a viver nos arredores de Paris e lançou obras como Féerie Pour Une Autre Fois e D'Un Château a l'Autre e uma autobiografia, intitulada Nord, em 1960, um ano antes de morrer.
Como referenciar: Louis-Ferdinand Céline in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-18 02:50:46]. Disponível na Internet: