Louis Vuitton

Fabricante de malas francês, Louis Vuitton nasceu na primeira metade de século XIX, em França. Na sua juventude, foi aprendiz de fabricante de malas e era ele que embalava a bagagem da imperatriz Eugénia quando esta acompanhava o imperador francês Napoleão III nas suas viagens.
Em 1854, Louis Vuitton abriu uma loja no centro de Paris, numa altura em que já era o fabricante favorito da imperatriz.
A fama de Vuitton ultrapassou fronteiras. O líder egípcio Ismail Pasha, por exemplo, encomendou um conjunto de malas, em 1869. A sua carteira de clientes importantes aumentou em 1877, quando o futuro czar do império russo, o Grão-Duque Nicolas e o rei Afonso XII, de Espanha, lhe fizeram também encomendas. Louis Vuitton foi o criador da técnica de construção de malas. Assim, começou a confecionar malas lisas e leves de modo a que pudessem ser melhor acondicionadas nos porões dos navios e nos comboios. Depois, disponibilizava uma capa para as cobrir, protegendo-as pelo exterior. Esta invenção foi muito apreciada e rapidamente copiada por outros fabricantes mais pequenos. Em 1873, Vuitton respondeu aos imitadores, optando por confecionar umas capas com faixas vermelhas sobre um fundo bege e mais tarde umas totalmente beges. As capas fizeram bastante sucesso, mas continuaram a ser copiadas, surgindo no mercado muitas de contrafação.
Em 1876, lançou a mala-baú para transporte de guarda-roupa com gavetas pequenas e carris de transporte.
Em 1888, o filho de Louis Vuitton, Georges, que trabalhava na empresa do pai, quis acabar com o problema das imitações e criou um novo design com um padrão axadrezado. Sobre este padrão inscrevia a frase "Louis Vuitton, déposée". As malas Louis Vuitton foram o primeiro produto manufaturado a ter a marca inscrita no exterior. Mesmo assim, surgiram inúmeras imitações do novo estilo criado por Georges. Este resolveu então criar um método mais difícil de copiar e optou por um design mais complexo, criando as capas com o monograma da marca. Associou às iniciais LV motivos modernos, revolucionando dessa forma a relação entre os clientes e os objetos de luxo.
Louis Vuittoin morreu em 1892 e Georges tomou definitivamente conta da empresa, optando por expandi-la para o estrangeiro. Encorajado pelo sucesso, uns anos antes, da abertura de uma loja em Londres, na Inglaterra, Georges Vuitton partiu, em 1893, para os Estados Unidos da América para ficar a conhecer o mercado local. Desde essa altura, a marca cresceu imenso até chegar às atuais 300 lojas em todo o mundo, distribuídas por 50 países, que empregam mais de 9500 trabalhadores.
Em 1987, a Louis Vuitton fez uma fusão com a Möet Henessy e surge o grupo LVMH. Sob esta insígnia, nos últimos anos do século XX e primeiros anos do século XXI, a Louis Vuitton diversificou as suas criações com produtos como joias, relógios e perfumes, entre outros.
Como referenciar: Louis Vuitton in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-07-12 13:12:38]. Disponível na Internet: