Luís Alves de Lima e Silva

Militar e político brasileiro, Luís Alves de Lima e Silva, Duque de Caxias, nasceu na Vila do Porto de Estrela, Rio de Janeiro, e faleceu a 7 de maio de 1880, na Fazenda Santa Mónica, Desengano (hoje Juparaná, Rio de Janeiro).
Aos 15 anos, ingressou na Academia Militar e, em 1822, organizou a Guarda Imperial de D. Pedro I. O batismo de fogo teve lugar no ano seguinte, ao entrar em campanha para combater na Baía. Depois disso, tomou parte nas ações militares da Balaiada, no Maranhão, em 1837. O papel que desempenhou, na resolução do conflito, valeu-lhe o título de Barão de Caxias. Foi nomeado para Presidente da Província do Maranhão e Comandante das Forças Militares. Em 1824, quando decorria a Guerra dos Farrapos, recebeu o título de Marechal de Campo. Passou a ocupar o cargo de Presidente do Rio Grande do Sul. A sua ação militar e diplomática levou à assinatura da Paz de Ponche Verde em 1845, que pôs fim ao conflito. Foi feito Conde de Caxias.
Sucedem-se as nomeações para senador e o cargo de Ministro da Guerra por três vezes na segunda metade do século XIX. O conflito com o Paraguai, em 1866, em que chegou a tomar a cidade de Assunção, valeu-lhe o título de duque, o único atribuído durante a época imperial.
Morreu em 1880 e os seus restos mortais, bem como os da sua família, repousam no Panteão em Caxias. A data do seu aniversário natalício, 25 de agosto, é comemorado como o Dia do Soldado, no Brasil, e desde 1962 que Luís Lima e Silva, Duque de Caxias, é o patrono do Exército Brasileiro.
Como referenciar: Luís Alves de Lima e Silva in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-07-12 12:55:08]. Disponível na Internet: