Luiz Bonfá

Compositor, instrumentista e cantor brasileiro, Luiz Floriano Bonfá nasceu no dia 17 de outubro de 1922, no Rio de Janeiro, Brasil. Aos 12 anos, começou a aprender a tocar guitarra, por influência do pai, também ele um instrumentista. Depois dessa importante iniciação na infância, viria a ser pupilo do maestro uruguaio Isaías Savio, com quem aprenderia os formatos da música clássica, integrando orquestras de guitarras organizadas pelo maestro. Nesta fase, classificar-se-ia em terceiro lugar num concurso de uma rádio carioca, a Tupi, tocando uma peça do compositor espanhol Francisco Tárrega. O escrutínio pretendia selecionar os seis melhores guitarristas do programa Hora do Guri. Muda-se para São Paulo e, sem perder o rasto à música erudita, desenvolve o gosto pela música popular. Estreia-se no profissionalismo em 1945, juntando-se ao Trio Campesino, como solista de guitarra e cantor. O agrupamento apresentar-se-ia com sucesso em alguns casinos de São Paulo e do Rio de Janeiro. Um ano mais tarde, entrava para os quadros da Rádio Nacional, levado pela mão do histórico Garoto, com quem tocaria no programa Clube da Bossa, colhendo os primeiros ensinamentos da bossa-nova. As suas primeiras gravações são registadas neste período. Ainda em 1946, integra o conjunto Quintandinha Serenaders, com quem atuaria até 1952. A partir daí, o seu percurso seria individual, como solista de guitarra. Em 1953, Dick Farney, outro brasileiro notado nos meios eruditos da época, gravou composições de sua autoria.

A internacionalização chegaria em 1956 e prolongar-se-ia nos três anos seguintes, numa digressão americana ao lado da cantora Mary Martin, com quem gravou alguns LPs pelo selo Atlantic. O seu virtuosismo era recorrentemente elogiado pela crítica norte-americana. Participou, em 1962, no lendário festival de bossa nova no Carnegie Hall, em Nova Iorque, rendendo-se a essa sonoridade. Voltaria aos EUA para ali viver durante dois anos (1964-66), aparecendo em vários programas televisivos e atuando em clubes noturnos célebres. Com um estatuto firme, também escreveu para cinema, destacando-se os filmes Orfeu do Carnaval (1959), Chico Viola Não Morreu (1955) e Os Cafajestes (1962). De entre o seu extenso rol de êxitos destacam-se os trechos "Manhã de Carnaval", o seu tema mais conhecido, alvo de diversas regravações internacionais, "Samba do Orfeu", "A Chuva Caiu", "De Cigarro em Cigarro".

A partir de 1967, fixando-se nos Estados Unidos da América até 1975, Luiz Bonfá voltou-se inteiramente para o jazz, ficando célebre a parceria com Eumir Deodato. Gravou alguns discos clássicos de guitarra, tendo oportunidade de tocar com músicos como Quincy Jones, George Benson, Stan Getz e Frank Sinatra. Apesar de manter uma ligação forte ao mercado americano, depois do regresso ao Brasil, o percurso de Bonfá foi marcado por uma certa obscuridade e afastamento dos estúdios de gravação. Apenas em 1997, Luiz Bonfá reapareceu com Almost in Love, gravação da cantora brasileira Ithamara Koorax. Viria a falecer de cancro na próstata no dia 12 de janeiro de 2001, no Rio de Janeiro.
Discografia
1955, Luiz Bonfá
1956, ...De Cigarro em Cigarro
1956, Noite e Dia
1956, Passeio no Rio
1957, Alta Versatilidade
1957, Violão Boêmio
1958, Ritmos Continentais
1958, Bonfafá
1958, Luiz Bonfá e Silvia Telles
1958, Orfeu Negro
1958, Meu Querido Violão
1959, Amor
1959, O Violão de Bonfá
1959, Sambolero
1960, Voz e Violão
1960, Passeio no Rio
1961, Luiz Bonfá
1961, Pery Ribeiro e seu Mundo de Canções Românticas
1961, Sócio de Alcova
1962, Le Roi de la Bossa Nova
1962, Braziliana
1962, Luiz Bonfá plays Bossa Nova
1963, Caterina Valente & Luiz Bonfá
1963, Jazz Samba Encore!
1963, Recado Novo de Luiz Bonfá
1963, Violão Boêmio, vol. 2
1965, The Gentle Rain (com Eumir Deodato)
1967, Luiz Bonfá
1967, Bonfá & Brazil
1967, Luiz Bonfá plays Great Songs
1970, The New Face of Bonfá
1971, Sanctuary
1973, Jacarandá
1974, Todo o Nada
1988, Manhattan Strut
1989, Non-Stop to Brazil
1997, Almost in Love

Como referenciar: Luiz Bonfá in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-10 19:29:58]. Disponível na Internet: