Luiz Francisco Rebello

Advogado e dramaturgo português, nascido a 10 de setembro de 1924, em Lisboa, e licenciado em Ciências Jurídicas pela Universidade de Lisboa, tendo-se especializado na área jurídica dos direitos de autor, domínio no qual publicou vários estudos. Entrou, em 1973, para o corpo diretivo da Sociedade Portuguesa de Autores onde permaneceu durante cerca de 30 anos, tendo saído em maio de 2003, após ter sido acusado de gestão fraudulenta e danosa daquela instituição. Foi eleito, em 1976, vice-presidente da Confederação Internacional das Sociedades de Autores e Compositores. Homem de teatro e autor teatral, especialista na história do teatro português e crítico teatral, o nome de Luís Francisco Rebello, marcando a renovação dos repertórios e comunicação teatrais, ficará na cultura portuguesa como um dos maiores conhecedores do teatro português. Cofundador, em 1946, do Teatro- Estúdio do Salitre, onde se estreou como autor em 1947, com o drama O Mundo Começou às 5 e 47, traduziu um vasto repertório de peças estrangeiras (Ibsen, Lorca, Armand Salacrou, Shakespeare, Alessandro Stefani, Strindberg, Tchekhov); realizou várias adaptações e versões livres (Dente por Dente , versão livre de Shakespeare; Liberdade, Liberdade , de Milor Fernandes e Flávio Rangel; O Círculo de Giz Caucasiano , de Brecht); para além disso, dedicou-se também à crítica teatral e literária. No conjunto das suas peças, destacam-se O Dia Seguinte, Alguém Terá que Morrer, É Urgente o Amor, O Fim na Última Página e Os Pássaros de Asas Cortadas.
Devem-se a Luís Francisco Rebello os estudos de maior fôlego existentes sobre a história do teatro português, sendo, por esse motivo, responsável pela divulgação de numerosos dramaturgos românticos, naturalistas, modernistas e contemporâneos, cuja obra, sem o seu empenho, permaneceria desconhecida. As suas peças, reunidas, na sua quase totalidade, em Teatro I, Teatro II e Teatro de Intervenção , conjugam o apelo aos novos recursos da dramaturgia contemporânea com uma preocupação existencialista pela qual, à luz da morte e de momentos de angústia e desespero, procura "ajudar os homens a viver".
Foi condecorado com o grande oficialato da Ordem Militar de Sant'Iago da Espada.
Como referenciar: Luiz Francisco Rebello in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-23 21:15:54]. Disponível na Internet: