Lulu Santos

Compositor, cantor e guitarrista brasileiro, Luiz Maurício Pragana dos Santos nasceu no dia 4 de maio de 1953, no Rio de Janeiro, Brasil. Filho de um militar, Luiz passou uma parte significativa da infância nos Estados Unidos, por força do curso de especialização em engenharia aeronáutica do pai. Nos anos 60, é envolvido pelo som dos Beatles e dos Rolling Stones, coisa comum a qualquer adolescente na época, descobrindo também o movimento tropicalista de Caetano Veloso, Gilberto Gil, os Mutantes e Gal Costa. Os seus primeiros agrupamentos musicais adotaram o rock como doutrina. Primeiro, foram os Cave Man, com covers dos Beatles, em meados da década de 60. Na década seguinte, fundou os Albatroz, os Veludo Elétrico e os Vímana. No terceiro destes projetos, onde esteve desde 1975 até 1977, lançou um disco pela Som Livre. A sua banda seguinte, os Pomoja, fundados com o trompetista Márcio Montarroyos, mostraria um som mais próximo dos padrões de fusão, misturando influências da música negra (soul e funk) com o jazz e o rock. Ainda nesta fase, fundou o trio Unziôtru, com António Pedro (dos Mutantes e dos Blitz) e Arnaldo Batista (do alinhamento original dos Mutantes). Estas experiências não tiveram o sucesso esperado e rapidamente terminaram, obrigando Luiz a outros trabalhos. Para a Som Livre, escolheu com, Guto Graça Mello e Ezequiel Neves, as canções de diversas novelas da rede Globo. Em 1980, sob o nome Luiz Maurício, lançou um single pela Polygram (atual Universal), mas o disco passou completamente despercebido. O fracasso não o desmoralizou e, um ano depois, voltaria à carga, novamente como Lulu Santos. Contratado pela Warner, editou três compactos que mereceriam algum destaque nas ondas radiofónicas. As canções eram "Tesouros da Juventude", "Areias Escaldantes" e "De Leve", uma versão para "Get Back", dos Beatles, feita com Gilberto Gil e Rita Lee. O primeiro álbum chegaria em 1981, contando com a produção de Liminha, antigo baixista dos Mutantes. A parceria seria mantida nos dois álbuns seguintes. Desses três discos, particularmente da parceria na escrita com Nelson Motta, nasceriam alguns dos grandes êxitos da carreira de Lulu Santos como "O ritmo...", "Como Uma Onda", "Adivinha o Quê" e "Um Certo Alguém" (este com letra de Ronaldo Bastos), "O Último Romântico", "Certas Coisas", "Lua de Mel" e "Tão Bem". Além dos discos, Lulu Santos firmava o seu nome de intérprete, com espéctaculos dinâmicos e marcados pela sua comunicação com o público. Em pouco tempo, era considerado um dos atuantes em palco com mais expressão junto da audiência. Normal (1985) foi a resposta mais experimental à exposição pop dos álbuns anteriores. Mais experimental, o disco serviu também para consolidar o estatuto de letrista de Lulu, já que apenas duas das canções do disco ainda tinham a coautoria de Nelson Motta. Fechando o ciclo com a Warner, seguiu-se Lulu, editado pela BMG, no ano seguinte. O álbum suplantaria as 200 mil cópias, assegurando-lhe um novo recorde pessoal de vendas, suscitado por canções como "Casa", "Condição" e "Um pro Outro". A onda de sucesso imparável seria mantida no álbum seguinte, com ampla apresentação por todo o Brasil e fora do país, no Festival de Jazz de Montreux, Suíça. Dessas digressões nasceria o primeiro disco ao vivo do cantor.

Seguiu-se uma fase de menor fulgor comercial, no final da década de 80 e durante a década de 90, altura em que voltou, fugazmente, para a Polygram, gravando Mondo Cane (1992), depois dos menos bem sucedidos Popsambalanço e outras levadas (1989) e Honolulu (1990). À entrada da década de 90, o músico estava sem contrato discográfico e seria a edição pontual, com o DJ Memê, de "Tim Medley", juntando as canções "Leme ao Pontal" e "Rodésia" numa roupagem disco, a convencer a BMG a propor-lhe novo contrato. Produzido por Memê, o primeiro filho desse novo compromisso, o single "Assim Caminha a Humanidade" recolocou-o nos trilhos do êxito. Em 1995, mantendo a colaboração com o DJ e produtor, suplantaria a marca de um milhão de cópias vendidas, com Eu e Memê, Memê e Eu. O disco incluía novas versões para alguns clássicos de Lulu e de outros artistas. No ano seguinte, o single "Aviso aos Navegantes" apresentaria novo álbum e tornar-se-ia um dos grandes êxitos da carreira de Lulu Santos. Trabalhando nos anos seguintes com outros produtores (Marcelo Sussekind e Liminha, novamente), Lulu Santos manteve um ritmo elevado de criação de novos sucessos. O acústico gravado para a série da MTV era um apanhado de um percurso cheio de boas canções e com o apoio de uma enorme legião de fãs. A experiência com a MTV seria repetida em 2004.

Discografia 1977, Zebra
1980, Gosto de Batom
1982, Tempos Modernos
1983, Ritmo do Momento
1984, Tudo Azul
1985, Normal
1986, Lulu
1988, Toda Forma de Amor
1988, Amor à Arte - Ao vivo
1989, Popsambalanço e Outras Levadas
1990, Honolulu
1992, Mondo Cane
1995, Eu e Memê, Memê e Eu
1997, Liga Lá
1999, Calendário
2000, Acústico MTV
2002, Programa
2003, Bugalu
2004, MTV ao Vivo
2005, Letra & Música

Como referenciar: Lulu Santos in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-06-18 16:07:37]. Disponível na Internet: