Lura

Cantora e compositora cabo-verdiana, Lura nasceu em 1975, em Lisboa, Portugal. Nascida numa família rural, sem nenhuma inclinação artística particular, Lura frequentou, desde tenra idade, aulas de dança moderna, e viria a integrar o corpo de bailarinas de Juka, músico de São Tomé e Príncipe que atuava nos clubes africanos de Lisboa. Aos 17 anos, depois de ter dado aulas de natação, Lura participa nas sessões de gravação de um álbum de Juka e, apesar de inicialmente ter sido convidada para gravar as vozes de suporte, acabaria por protagonizar um dueto com o cantor são-tomense. Com essas gravações, Lura descobriu o potencial da sua voz e viu reconhecido o seu trabalho. Depois do êxito do dueto com Juka nos países africanos de expressão portuguesa, Lura seria convidada por outros artistas lusófonos, participando em discos dos conterrâneos Tito Paris, Paulo Flores e Paulino Veira e do angolano Bonga (na canção "Mulemba Xangola"). O primeiro disco a solo de Lura, gravado numa altura em que trabalhava com uma companhia de teatro lisboeta, apontava para uma sonoridade dançante e a canção-título ("Nha Vida") tornar-se-ia um êxito imediato nas comunidades africanas em Portugal. A provar o êxito, a canção seria incluída no álbum Red Hot + Lisbon (1999), numa campanha de sensibilização contra a SIDA. Essa exposição mediática justificaria a atenção do selo Lusáfrica. O segundo disco da cantora seria lançada no âmbito de um compromisso com essa editora e teria grande sucesso junto dos públicos mais jovens, revelando o esplendor vocal de Lura. Apenas em 2005, a cantora editaria um disco de alma verdadeiramente cabo-verdiana, claramente mais identificado com a tradição sonora do seu país. Grande parte das composições eram assinadas por Orlando Pantera, um jovem compositor que revolucionou os géneros tradicionais de Cabo Verde, influenciando diversos artistas do seu país. Além dessas composições, Lura também escreveu alguns dos temas do álbum Di Korpu Ku Alma , tornando-se uma das raras autoras femininas da música crioula.

O regresso às gravações, em 2006, mostraria a maturação das composições de Lura, além da importante colaboração de Toy Vieira, diretor artístico e coautor de algumas das composições. Apresentado ao vivo no Tivoli, em Lisboa, o álbum consagrava uma das vozes mais relevantes da nova geração de músicos cabo-verdianos.

Discografia 1996, Nha Vida
2002, In Love
2005, Di Korpu Ku Alma
2006, M'bem Di Fora

Como referenciar: Lura in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-06-18 16:06:00]. Disponível na Internet: