Maggie Cheung

Atriz chinesa, Maggie Cheung Man-Yuk nasceu a 20 de setembro de 1964 em Hong Kong. Com oito anos, mudou-se com a família para Inglaterra onde completou os estudos secundários. Regressou depois a Hong Kong onde começou a fazer anúncios publicitários e iniciou uma carreira de modelo. Em 1983, concorreu ao concurso de "Miss Hong Kong", tendo sido eleita "Primeira Dama de Honor". No ano seguinte, começou a participar em pequenos papéis no cinema em comédias insípidas, até que surgiu a oportunidade de contracenar com Jackie Chan em Police Story (O Incorruptível, 1985), um dos maiores sucessos do cinema asiático dessa década. Instalada em definitivo no coração dos espectadores, Cheung ficou também muito associada aos papéis cómicos, tendo feito de enfiada diversas comédias românticas, policiais ou fantásticas. Em 1988, teve a sua chance de interpretar papéis mais dramáticos quando Wong Kar-Wai a escolheu para As Tears Go By (Ao Sabor da Ambição). Neste filme destilava uma enorme sensualidade e potencialidade dramática, o que originou uma viragem na carreira e a solicitação para trabalhos de grande nível artístico, apesar de continuar a fazer comédias e filmes mais comerciais.
Foi bastante elogiada pelos seus papéis em filmes como Song of the Exhile (1990) e Days of Being Wild (Dias Selvagens, 1991), este de Wong Kar-Wai.
Em 1992, obteve um dos seus papéis mais importantes em Centre Stage, de Stanley Kwan, encarnando a estrela do cinema mudo chinês dos anos 30 Ruan Ling-yu. Por este trabalho, foi premiada com o Urso de Prata para a Melhor Atriz do Festival de Berlim. Teve depois diversas participações em filmes de ação e mais uma colaboração com Wong Kar-Wai - Ashes of Time (1994) - antes de iniciar definitivamente uma carreira internacional com Irma Vep (1996). Este popular filme realizado por Olivier Assayas (com quem se casou em 1998) levou-a até França para se interpretar a si própria como atriz convidada para trabalhar num remake do clássico do mudo Les Vampires (1915), de Louis Feuillade. Em 1997, fez o seu primeiro filme em língua inglesa: Chinese Box (A Caixa Chinesa), de Wayne Wang, com Jeremy Irons e Gong Li. Em 2000, teve um outro grande papel no belíssimo In the Mood for Love (Disponível Para Amar), de Wong Kar-Wai, grande sucesso de crítica. A seguir filmou Hero (Herói, 2002), de Zhang Yi-Mou, um deslumbrante espetáculo de artes marciais que obteve grande aclamação da crítica. Em 2003, recusou um papel em X2 (X-Men 2), e no ano seguinte teve outra das suas melhores interpretações em Clean, de Olivier Assayas (de quem se divorciara em 2002), pelo qual venceu o prémio de Melhor Atriz no Festival de Cannes. Fez ainda 2046 (2004), mais um filme de Wong Kar-Wai e o sétimo em que contracenou com Tony Leung.
Como referenciar: Maggie Cheung in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-11-14 12:02:20]. Disponível na Internet: