Manuel de Almeida

Fadista, Manuel Ferreira de Almeida nasceu em 1922, em Lisboa, e faleceu em 1995. Para muitos foi o último grande representante do fado 'castiço'.
Começou a cantar logo aos 10 anos. A sua estreia foi na Verbena dos Paulistas, em Lisboa (onde também Fernando Farinha recebeu, em criança, os seus primeiros galardões). E desde aí passou a frequentar os mais diversos retiros fadistas.
Contudo, demorou a profissionalizar-se. Manuel de Almeida foi fabricante e desenhador de calçado feminino. E também um grande desportista, praticando regularmente futebol e atletismo. Apenas aos 28 anos se profissionalizou, no Tipoia, então gerido por Adelina Ramos. Por ali ficou 12 anos. Depois passou por várias casas, como o Estribo, o Retiro do Malhão, o Faia e o Olímpia Clube. A convite de Fernanda Maria, passou 11 anos na casa Lisboa à Noite, no Bairro Alto. A que se seguiram 16 anos no Forte Dom Rodrigo, propriedade do fadista Rodrigo.
Participou, em 1964, no filme Fado Corrido, de Jorge Brum do Canto, juntamente com grandes figuras do fado, como Amália Rodrigues e Carlos Ramos. Gravou mais de uma dúzia de discos. Notabilizou-se pela sua voz e pela forma muito peculiar de cantar, em temas como "Pequenas Felicidades", "Embuçado", "Teus Olhos são dois Garotos", "Penitência para o meu Fado", "Antigamente", "Lugar Vazio", "Quando Voltares", "Como te quis e te quero", "Há muito quem cante o fado", "Fado da despedida" ou "Fado antigo". O próprio também escreveu melodias e/ou letras de fados, como "Aguarela Fadista" (Fado Alexandrino), "Por te querer Tanto" (com J. Lopes), "Tempos que já lá vão" (com José Marques) ou "Dias de Feira da Ladra" (com Alfredo Correiro). Recebeu vários prémios, entre os quais o Óscar da Imprensa, um diploma do Senado de Rhode Island e a medalha da cidade de Saint-Serves.
Em 1987, Rão Kyao resgatou Manuel de Almeida, e produziu um dos mais badalados álbuns da sua carreira: Eu fadista me confesso. Um conceito do próprio Rão Kyao, que levou Manuel de Almeida por caminhos inesperados, o que fez com que alguns apreciadores da sua voz dissessem que não o reconheciam. O álbum contém alguns temas que ficaram na memória, como Eu Fadista me Confesso, Voz do Tejo, Fado dos Sonhos, No Azul de um Azulejo ou Quero Cantar. Além deste álbum, da sua discografia destacam-se os títulos disponíveis em CD, como Fados do Coração (Strauss, 1969), Fado e um Estilo (1989, Ediclube), Manuel de Almeida (Movieplay, 1994) e Fado (Movieplay, 1996).
Em 1994 foi homenageado, por 50 anos de carreira, numa festa no Teatro São Luís. Faleceu no ano seguinte.
Como referenciar: Manuel de Almeida in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-10-21 14:54:51]. Disponível na Internet: