Manuel Fernandes Tomás

Manuel Fernandes Tomás nasceu na Figueira da Foz em 30 de junho de 1771 e morreu em 19 de novembro de 1822.
Matriculou-se na Universidade de Coimbra nas vésperas da Revolução Francesa, acabando o curso de Direito quando em França a Assembleia Constituinte elaborava a Constituição, que mais tarde lhe serviria de base para tentar institucionalizar o liberalismo em Portugal. Tendo seguido carreira na magistratura, Fernandes Tomás prestou grandes serviços ao exército luso-britânico durante as invasões francesas, quer como autoridade administrativa, quer como provedor da área de Coimbra.
Fundou depois o Sinédrio, em 1818, com Ferreira Borges, Ferreira Viana e Silva Carvalho, associação que teve um papel de relevo no movimento reformista de 1820. Fernandes Tomás fez parte da comissão encarregada de elaborar as bases da Constituição de D. João VI. O seu parecer contribuiu poderosamente para influenciar a lei no sentido de um radicalismo republicano.
A morte terminou a atividade política de Fernandes Tomás num momento em que ela poderia ter assumido outro fôlego. Ainda assim, ele não deixa de poder ser encarado como uma figura de primeiro plano do liberalismo português vintista. Exerceu uma intensa e notável ação de edificação de um Portugal novo, na construção de novas referências jurídicas e constitucionais, na defesa das liberdades e garantias dos cidadãos, e no estabelecimento do princípio da representatividade do sistema político.
Como referenciar: Manuel Fernandes Tomás in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-10-19 17:11:13]. Disponível na Internet: