Manuel Noriega

Manuel Noriega nasceu a 11 de fevereiro de 1938 e morreu a 29 de maio de 2017, no Panamá. Estudou numa escola militar do Peru, após o que regressou ao Panamá para desempenhar funções na Guarda Nacional. Esteve ligado ao golpe de Estado que derrubou o Governo de Arnulfo Arias, sendo recompensado com a promoção ao posto de tenente-coronel.

Iniciou então os seus contactos com os serviços secretos dos Estados Unidos da América, onde, aliás, já estivera para receber treino de contraespionagem. Por esta altura começou a ser noticiado o seu envolvimento no tráfico de drogas. Em 1982, Noriega passou a chefiar o Estado-Maior, autopromovendo-se ao posto de general. Com o controle absoluto das Forças Armadas, atuou como se fosse o próprio presidente do país.
Entretanto, Noriega deixou de ser útil aos Estados Unidos. Pelo contrário, as suspeitas relativas às suas ligações à CIA, de que se viria a provar ser agente, chegavam à opinião pública e constituíam um embaraço para a administração norte-americana, assim como o seu envolvimento no narcotráfico internacional e em operações de lavagem de dinheiro. Desta forma, o presidente George Bush ordenou a invasão do Panamá em 1989. As tropas norte-americanas capturaram Noriega com o intuito de o submeter a julgamento. Em 1991 foi condenado a 40 anos de prisão por tráfico de cocaína e lavagem de dinheiro.
Como referenciar: Manuel Noriega in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-08-05 23:35:58]. Disponível na Internet: