Mar Morto

Encaixado entre a Jordânia e Israel, o mar Morto ocupa uma área com 1020 km2, sendo o ponto mais baixo da área superficial do planeta, visto que a sua superfície se situa a 400 metros abaixo do nível do mar. A Península de Al-Lisan divide-o em duas zonas: a norte, representando 3/4 da área total, a mais profunda que chega aos 400 metros; e a sul, a zona mais baixa, com uma profundidade média de três metros. A sua principal característica é a alta concentração de sal, cujo grau aumenta em direção ao fundo, podendo, desta forma, distinguir-se dois níveis: o superior, limitado aos 40 metros de profundidade e rico em sulfatos e bicarbonatos; e o nível inferior, com maior salinidade, onde se regista a concentração de magnésio, potássio, cloro e bromo. Esta composição da água explica por que não se encontra qualquer espécie de vida animal no mar Morto. O principal tributário do mar Morto é o rio Jordão. Existe extração de sais e constitui um atrativo turístico.
A origem do mar Morto remonta aos períodos Jurássico e Cretácico (de 208 a 66 milhões de anos), altura em que o mar Mediterrâneo cobria a Síria e a Palestina, para, já na época Miocénica (de 23 a 5 milhões de anos), se formar a depressão onde se situa o mar Morto, através da elevação das terras altas da Transjordânia e da Palestina, ganhando, então, a atual forma.
Como referenciar: Porto Editora – Mar Morto na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-09-26 05:46:14]. Disponível em