Maria Montessori

Pedagoga e médica italiana, Maria Montessori nasceu em 1870, em Chiaravalle, perto de Ancona.
Filha única de um militar italiano, Maria Montessori recebeu um educação muito severa durante a infância e quando tinha cinco anos foi viver para Roma, onde iniciou os seus estudos. Dada a sua vocação para matemáticas, Maria Montessori entrou com dezasseis anos para a escola técnica com a intenção de seguir engenharia. Contudo, mudou rapidamente de ideias e decidiu que queria ser médica, uma opção inédita que a família não aceitou. Para além de ter de enfrentar a oposição dos seus pais, Montessori teve ainda que lutar contra os preconceitos da época que não admitiam que uma mulher pudesse seguir esta carreira. No entanto, apesar das diversas contrariedades, Maria acabou por entrar para a escola médica e em 1896, com 26 anos, cometeu a proeza de ter sido a primeira mulher italiana a licenciar-se em Medicina.
Terminado o curso, começou por trabalhar na área da Psiquiatria e muito concretamente junto de crianças com problemas de atraso de desenvolvimento, recusando-se a aceitar que estas crianças não pudessem aprender. Posteriormente iniciou a sua carreira de docente, tendo passado por várias instituições e ocupado diversos cargos. Entre outros, foi regente da cadeira de higiene no Colégio das Mulheres de Roma e professora de Antropologia na Universidade de Roma, cargo que ocupou durante 4 anos, desde 1904 até 1908. Maria Montessori não concordava com o ensino da época, muito baseado na memorização e na disciplina, aspetos que coartavam a criatividade das crianças. Montessori defendia que os métodos que se utilizavam não eram adequados para a aprendizagem e que as escolas eram monótonas e pouco apelativas. Deste modo, partindo das ideias de autores como Itard e Froebel, mas sobretudo de Edouard Seguin, um médico francês que tinha criado e desenvolvido um sistema de educação para crianças deficientes, Montessori desenvolveu um método pedagógico junto de crianças mentalmente diminuídas e generalizou a todas as crianças saudáveis.
Este método baseava-se em princípios como a auto-atividade, a espontaneidade e criatividade, e ajudava o desenvolvimento mental da criança, fomentando as condições necessárias para que as crianças pudessem ter total liberdade de expressão. Montessori sustentava que a criança, ao contrário do adulto, encontra-se continuamente em crescimento e mutação e que por esse motivo era fundamental que o educador conhecesse os períodos sensíveis do desenvolvimento da criança para que a pudesse ajudar. Por outro lado, defendia ainda que as crianças deveriam trabalhar individualmente de acordo com o seu próprio ritmo e utilizando os métodos de acordo com as suas necessidades.
Os métodos empregues por Maria Montessori tiveram um enorme sucesso e rapidamente começaram a aparecer por toda a Itália escolas que os adotavam. A primeira "Casa dei Bambini" ("Casa de Crianças") foi inaugurada em 1907, em Roma, no bairro de San Lorenzo.
Em 1934, Maria Montessori saiu da Itália para fugir do fascismo e após o fim da Segunda Guerra Mundial, depois de ter vivido em Espanha e na Índia, foi viver para a Holanda, onde prosseguiu os seus trabalhos até morrer em 1952.
Obras principais de Montessori:
1904, Sui caratteri antropometrici in relazione alle gerarchie intellettuali dei fanciulli nelle scuole
1904, Influenza delle condizioni di famiglia sul livello intelletuale degli scolari
1907, La Casa dei bambini dell?Istituto dei beni stabili
1909, Il metodo della pedagogia scientifica
(O método Montessori)
1910, Antropologia pedagogica
1911, La Moralé sessuale dell? educazione tra madre e figlio
1916, L? autoeducazione nelle scuole elementari
1935, Manual della pedagogia scientifica
Como referenciar: Maria Montessori in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-09-15 09:12:29]. Disponível na Internet: