Mário-Henrique Leiria

Escritor e pintor português, nasceu a 2 de janeiro de 1923, em Lisboa, e morreu a 9 de janeiro de 1980, em Cascais. Frequentou a Escola de Belas-Artes - de onde seria expulso em 1942 - e participou, entre 1949 e 1951, nas atividades da movimentação surrealista em Portugal (participou na exposição de 1949 e assinou alguns dos textos coletivos, como Afixação proibida) tendo aderido ao Grupo Surrealista Dissidente. Exerceu várias profissões (marinha mercante, caixeiro, operário metalúrgico e da construção civil) e viveu grande parte da sua vida no estrangeiro (Europa ocidental, Norte de África, Médio Oriente, Inglaterra). Dirigiu a revista Aqui (1976) e realizou várias traduções (Faulkner, Aldous Huxley, Gorki). Depois de ter permanecido, por questões políticas, nove anos na América Latina (1961-1970), voltou para Portugal, só então publicando o seu primeiro livro Contos do Gin-Tonic, primeiro de vários volumes que reúnem pequenas narrativas de um nonsense truculento, onde ainda é visível a influência do legado surrealista. Posteriormente editaria Novos Contos do Gin-Tonic (1974), Imagem Devolvida (1974), Um Conto de Natal para Crianças (1975), Casos de Direito Galáctico (1975), O Mundo Inquietante de Josefa (fragmentos) (1975) e Lisboa ao Voo do Pássaro (1979).
Grande parte da obra poética dispersa e inédita de Mário-Henrique Leiria, nomeadamente aquela que resultou da sua atividade surrealista, foi publicada postumamente, encontrando-se o seu espólio depositado na Biblioteca Nacional.
Como referenciar: Mário-Henrique Leiria in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-01-21 15:25:54]. Disponível na Internet: