Mário Vargas Llosa

Escritor peruano, nasceu em 28 de março de 1936, em Arequipa, no Peru. O seu empenho em relação a mudanças sociais é evidente nos seus romances, peças e ensaios. O escritor pertence à escola do realismo mágico e faz parte da explosão de talentos dos anos 60 da literatura latino-americana. Na sua carreira política começou por ser comunista, mas virou-se para a direita. Em 1990 candidatou-se à presidência da República do Peru, sendo vencido pelo candidato Alberto Fugimori. Tem sido criticado por estar à margem da comunidade dos índios Quechua.
Vargas Llosa foi educado em Cochabamba, na Bolívia, onde o seu avô era cônsul do Peru. Entrou para a escola militar de Lima em 1950. Depois da sua primeira publicação, em 1952, de La huida del Inca, um peça em três atos, as suas histórias são editadas nas revistas literárias peruanas Cuadernos de composición (1956-57) e Literatura (1958-59). Trabalhou como jornalista e locutor e frequentou a Universidade de Madrid. Em 1959 mudou-se para Paris, onde viveu até 1966.
O primeiro romance de Vargas Llosa, La ciudad y los perros, de 1963, foi muito bem recebido, e está traduzido em mais de uma dúzia de línguas. A ação passa-se no Colégio Militar de Leoncio Prado e descreve a luta dos adolescentes para sobreviver a acontecimentos violentos e hostis. A corrupção na escola reflete os males que afetam o Peru. O romance La casa verde (1966) situa-se na selva peruana e combina os elementos míticos, populares e heroicos para apreender os elementos sórdidos, trágicos e a realidade fragmentada dos seus caracteres. Los cachorros (1967) é um retrato psicanalítico de um adolescente que foi acidentalmente castrado. Conversación en la Catedral (1969) é uma história passada na altura do regime de Manuel Odria (1948-56). O romance Pantaleón y las visitadoras (1973), constitui uma sátira acerca do regime militar e do fanatismo religioso. La tía Julia y el escribidor (1977) combina duas narrativas com pontos de vista diferentes, sendo uma obra semi-autobiográfica.
Vargas Llosa escreveu vários estudos críticos sobre escritores. Publicou um estudo sobre o ficcionismo de Gabriel García Márquez intitulado, García Márquez: Historia de deicidio (1971), outro estudo sobre Gustave Flaubert em La orgía perpetua: Flaubert y "Madame Bovary" (1975) e ainda um estudo dos trabalhos de Jean-Paul Sartre e Albert Camus, intitulado Entre Sartre e Camus (1981).
Depois de viver três anos em Londres, passou a escrever na residência da Universidade estatal de Washington, em 1969. Em 1970 estabeleceu-se em Barcelona. Em 1974 regressou a Lima, lecionando e dando conferências por todo o mundo. Publicou em 1978 uma coleção de ensaios críticos. Em 1982, escreveu La guerra del fin del mundo, uma reflexão sobre os conflitos políticos do Brasil no século XIX. Este livro tornou-se um "best-seller" nos países de expressão espanhola. Em 1983 escreveu a peça La Señorita de Tacna que foi representada em inglês na cidade de Nova Iorque. A peça La Chunga (1986) também foi alvo de críticas favoráveis.
Como referenciar: Mário Vargas Llosa in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-09-21 04:42:03]. Disponível na Internet: