Marisa Monte

Cantora brasileira, de nome completo Marisa de Azevedo Monte, nasceu no dia 1 de julho de 1967, no Rio de Janeiro. Na sua infância, aprendeu piano. Enquanto jovem, estudou canto lírico e cantou no musical Rock Horror Show, montado pelos alunos de teatro do Colégio Andrews. Motivada a conhecer com maior profundidade o canto lírico, viveu durante 10 meses em Itália, quando tinha apenas 18 anos. Aí conheceu Nelson Motta, grande impulsionador da sua carreira. De regresso ao Brasil, deu vários espetáculos sob a direção de Nelson Motta, dos quais se destacaram os concertos no Jazzmania e na Casa da Cultura Laura Alvim, no Rio de Janeiro. Atingiu, assim, um grande sucesso através de concertos, da crítica e do público. Editou o álbum de estreia, Marisa Monte, em 1989, com metade das canções gravadas ao vivo. Este trabalho incluiu o êxito "O Xote das Meninas". Seguiu-se-lhe Mais (1991), que contou com a produção do guitarrista norte-americano Arto Lindsay e as participações do pianista japonês Ryuichi Sakamoto, do percussionista Naná Vasconcelos e do baixista Melvin Gibbs. Fazem parte de Mais temas como "De Noite na Cama", "Beija Eu" e "Ainda Lembro". Com este trabalho, Marisa Monte ultrapassou as fronteiras do Brasil, obtendo sucesso nos EUA, na Europa, no Japão e na América Latina. Em 1994, surgiu Verde, Anil, Amarelo, Cor-de-Rosa Carvão, também produzido por Arto Lindsay, e que contou com a colaboração de diversos músicos, como Gilberto Gil, Paulinho da Viola, Carlinhos Brown, Laurie Anderson e a escola de samba da Portela, entre outros. Este álbum incluiu os êxitos "Dança da Solidão", "Ao Meu Redor", "Bem Leve" e "Segue o Seco".
Em 1996, edita um disco duplo com o título Barulhinho Bom. O registo dá-nos a conhecer alguns momentos da digressão Cor de Rosa e Carvão, gravados no Recife e no Rio de Janeiro e também algumas faixas gravadas em estúdio. Deste álbum merecem destaque as versões de "Give Me Love" (George Harrison), "Panis et Circenses" (Caetano Veloso), "Cérebro Electrônico" (Gilberto Gil), "Blanco" (um poema de Octávio Paz musicado por Marisa) e "Maraçã" (escrita por Carlinhos Brown).
Em 1998 atuou em Lisboa na exposição universal de comemoração dos 500 anos dos Descobrimentos portugueses, ao lado de Cesária Évora e Dulce Pontes. A 11 de abril de 1999 surgiu ao lado da cantora cabo-verdiana Cesária Évora no programa televisivo Atlântico, da autoria de Eugénia Melo e Castro. O regresso às edições de estúdio aconteceu em 2000, com Memórias, Crónicas e Declarações de Amor. De novo com a produção de Arto Lindsay, em parceria com a própria cantora, e contando com a colaboração de Carlinhos Brown e Arnaldo Antunes, o disco revelou-se o mais bem-sucedido registo da cantora. O single "Amor I Love You" teve um enorme êxito. Uma nota ainda para o temas "Sou Seu Sábia", escrito pelo celebérrimo Caetano Veloso.
Aproveitando os frutos do profícuo envolvimento profissional com Carlinhos Brown e Arnaldo Antunes, Marisa juntou-se a eles no projeto Tribalistas, que deu origem a um disco com o mesmo nome, lançado em 2002. A música é essencialmente acústica, de uma pop bastante atrativa e simples, demonstrando as vocalizações únicas do trio. Do alinhamento do disco, merecem referência os temas "Já Sei Namorar", "Passe em Casa" e "Carnavália". Paralelamente a esta edição foi lançado um DVD com algum material exclusivo, reportando às sessões de gravação do disco.
Quatro anos mais tarde, em 2006, Marisa Monte surpreenderia os seus fãs ao editar, de uma só vez, dois álbuns: Universo ao meu Redor, uma compilação de antigos sobreviventes temas de samba, e Infinito Particular, todo ele feito de canções autorais, assinadas pela cantora.
Como referenciar: Marisa Monte in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-07-04 17:10:35]. Disponível na Internet: