Martin Sheen

Ator norte-americano, Ramon Estevez nasceu a 3 de agosto de 1940, na cidade de Dayton, filho de mãe irlandesa e de pai espanhol. Já em adolescente manifestou interesse pelo teatro e em 1958 chegou mesmo a chumbar propositadamente no exame de admissão à Universidade. Matriculou-se numa escola de Artes Dramáticas e em 1962 partiu para Nova Iorque para iniciar a sua carreira profissional.
Os primeiros tempos na Big Apple foram difíceis, tendo trabalhado como lavador de carros e ascensorista. Fez primeiramente teatro amador e em 1964 pisou pela primeira vez os palcos da Broadway. Em breve foi convidado para desempenhar pequenos papéis em séries televisivas como Insight (1964) e As The World Turns (1965). Chegou ao cinema pelas mãos do realizador Larry Pearce, que o chamou para protagonizar The Incident (1967), uma violenta crónica urbana sobre dois vagabundos alcoólicos que se divertem a aterrorizar passageiros do metro. Repetiu o seu papel de estreia na Broadway, desta vez na tela em The Subject Was Roses (O Assunto Era Rosas, 1968), sucedendo-se participações em filmes como Catch-22 (Artigo 22, 1970) e Rage (A Terrível Vingança, 1972). Mas o seu primeiro grande papel no cinema seria em Badlands (Noivos Sangrentos, 1973), filme de culto onde desempenhou o papel de um jovem psicopata. Depois de prestações em títulos pouco significativos como The Execution of Private Slovik (A Execução do Soldado Slovik, 1974) e Cassandra Crossing (1976), foi convidado por Francis Ford Coppola para substituir o ator Harvey Keitel em Apocalypse Now (1979), onde desempenhou o papel do capitão Benjamin Willard, incumbido de assassinar o renegado coronel Kurtz (Marlon Brando). Durante as intermináveis e extenuantes rodagens nas Filipinas, Sheen sofreu um ataque cardíaco. Nas décadas de 80 e de 90, a sua carreira cinematográfica começou a perder fulgor, apesar das participações em Gandhi (1982), The Dead Zone (Zona de Perigo, 1983) e Wall Street (1987). Tornou-se então o ator mais requisitado da televisão norte-americana, sendo figura constante em telefilmes e minisséries.
Em 1991, aventurou-se na realização, dirigindo o filho, Charlie Sheen, em Cadence (A Marcha da Revolta, 1991). Foi através de uma série televisiva que relançou a sua carreira, ao interpretar a fictícia figura de um presidente dos EUA na multigalardoada série The West Wing (Os Homens do Presidente, 1999-2004) que lhe valeu um Emmy. Bobby, de Emilio Estevez, e The Departed (The Departed: Entre Inimigos), de Martin Scorsese, foram dois filmes em que o ator participou em 2006.

Paralelamente, Sheen é um fervoroso ativista dos Direitos Humanos, utilizando a sua condição de figura pública para participar ativamente em campanhas de desmilitarização.
Como referenciar: Martin Sheen in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-04-18 23:47:11]. Disponível na Internet: