Martina Hingis

Tenista suíça nascida a 30 de setembro de 1980, em Kosice, na Eslováquia. Aos três anos, já praticava ténis e, aos cinco, começou a participar em torneios, levada pelos pais. A mãe, Melanie Molitor, foi uma tenista de nomeada na Checoslováquia e o pai era treinador de ténis. Esta admiração do casal pela modalidade valeu à filha o nome Martina, em homenagem à grande campeã Navratilova, também nascida na Checoslováquia. Entretanto, quando tinha sete anos os pais divorciaram-se e Martina foi viver para a Suíça com a mãe, que passou a ser a sua treinadora. Martina praticava assim ténis com muita intensidade e desenvolveu rapidamente o seu jogo, o que permitiu vitórias por diversas vezes sobre adversárias mais velhas. Em 1993, com apenas 12 anos, venceu o Open de França em juniores, tornando-se dessa forma a mais jovem concorrente a triunfar numa prova do Grand Slam (conjunto das quatro competições mais importantes do calendário do ténis internacional: Austrália, Estados Unidos, Inglaterra/Wimbledon e França/Roland Garros). No ano seguinte, voltou a vencer a prova francesa, juntando ao seu palmarés o triunfo em Wimbledon, o que lhe valeu passar a ser a mais nova jogadora a triunfar em juniores neste evento. Ainda em 1994, mais precisamente em outubro, Martina Hingis tornou-se atleta profissional, tendo na altura apenas 14 anos. Esta opção provocou grande polémica na época devido à sua juventude. Outros casos semelhantes ocorridos no passado acabaram por ter maus resultados, já que algumas jovens tenistas não conseguiram resistir à pressão e não souberam lidar com a fama. A WTA (Women's Tennis Association - Associação de Ténis de Mulheres), entidade que rege o ténis feminino, alterou os regulamentos para impedir a participação assídua de tão jovens jogadoras em torneios profissionais. No início de 1995, Martina Hingis, indiferente às controvérsias geradas à sua volta, participou no Open da Austrália sénior e o facto de ter passado à segunda ronda permitiu-lhe somar mais um recorde na carreira, pois foi a mais jovem tenista a lograr tal feito numa prova do Grand Slam. No ano seguinte, venceu em Wimbledon, em parceria com Helena Sukova, a variante de pares, o que fez de Martina a mais jovem tenista a triunfar numa prova do Grand Slam. O ténis feminino foi totalmente dominado por Martina Hingis em 1997. Depois de ter iniciado a época classificada em quarto lugar do ranking mundial, acabou o ano em primeiro. Logo a abrir, venceu seis torneios internacionais consecutivos, um deles o Open da Austrália, tendo sido a mais jovem a ganhar um Grand Slam de singulares, com 16 anos, ao bater na final a francesa Mary Pierce. Até dezembro de 1997, venceu ainda em Wimbledon e nos Estados Unidos, tendo perdido apenas em Roland Garros, onde foi batida na final pela croata Iva Majoli. Com esta carreira notável, destronou a alemã Steffi Graf do primeiro lugar do ranking, posto a que ascendeu a 31 de março de 1997. Com 16 anos, passou a ser a mais jovem tenista a liderar o ranking WTA. Desde então, prosseguiu a série de triunfos e foi a tenista melhor classificada nos rankings de 1997, 1999 e 2000. Em 2002, depois de uma série de lesões no tornozelo, Hingis retirou-se.
Como referenciar: Martina Hingis in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2021. [consult. 2021-01-27 14:25:39]. Disponível na Internet: