massa atómica relativa

A massa atómica relativa de um elemento X, cujo símbolo é Ar (X), consiste na massa de cada átomo. Como não se pode pesar diretamente um átomo, usa-se um método indireto que consiste na comparação das massas de dois átomos.
O método consiste em escolher um átomo para termo de comparação, isto é, um padrão e daí designação de massa atómica relativa. Em seguida verifica-se quantas vezes é que a massa de outro átomo é maior que a massa do padrão escolhido. Assim, a massa atómica relativa indica o número de vezes que a massa média dos átomos desse elemento é superior à massa do padrão escolhido.
O átomo de hidrogénio é o átomo mais simples porque só possui um protão no seu núcleo. Por este motivo, utiliza-se como termo de comparação para medir a massa dos outros átomos. Atualmente, o padrão em vigor não é o átomo de hidrogénio, mas sim o átomo de carbono-12, isto é, o isótopo 12C. Esta mudança de padrão não trouxe, no entanto, grandes diferenças de valores nas massas atómicas relativas.
Quando um elemento químico tem isótopos, a massa atómica relativa desse elemento é uma média das massas dos respetivos isótopos, tendo em conta a percentagem de abundância dos referidos isótopos.

Como referenciar: massa atómica relativa in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-10-24 03:50:17]. Disponível na Internet: