Melastomáceas

Família de plantas dicotiledóneas que se distribuem por cerca de cento e oitenta e oito géneros e quatro mil novecentas e cinquenta espécies. Habitam naturalmente nas regiões tropicais, sendo que a maioria ocorre na América do Sul.
As plantas desta família são ervas, arbustos ou trepadeiras por meio de raízes adventícias. São plantas aquáticas, epífitas ou palustres. O caule é frequentemente de secção quadrangular. As folhas são, em geral, opostas raramente verticiladas, geralmente simples com nervuras proeminentes longitudinalmente e convergindo no ápice. As inflorescências são cimosas e bastante variáveis. As flores são, em geral, regulares ou ligeiramente zigomorfas devido aos estames. O recetáculo é tubuloso ou campanulado, mais ou menos unido com o gineceu. O cálice e a corla são, em geral, tretâmeros ou pentâmeros, convolutos. O número de estames é igual ou duplo do número de pétalas. As pétalas são livres no verticilo, inflectidas no botão. As anteras são deiscentes por um poro apical ou por duas fendas longitudinais. O ovário é súpero ou ínfero, com dois ou mais lóculos (raramente só um), e glabro. O estilete é direito ou curvo e o estigma subcapitado. Os óvulos são numerosos, anatrópicos e de placentação axilar. O fruto é uma baga ou uma cápsula, inclusa no recetáculo.
Várias espécies possuem madeira de boa qualidade como as do género Astronia, outras são produtoras de frutos comestíveis e utilizadas como ornamentais como as plantas dos géneros Bellucia e Conostegia, Bertolonia, Dissotis, Medillina e, finalmente, outras como as plantas dos géneros Heterocentron, Melastuma e Clidemia tornaram-se infestantes.
Como referenciar: Porto Editora – Melastomáceas na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-10-18 09:49:44]. Disponível em