Mies van der Rohe

Arquiteto alemão, Ludwig Mies van der Rohe nasceu em 1886, em Aachen, na Alemanha, e faleceu em 1969. Estudou durante dois anos na escola de comércio, trabalhando posteriormente como desenhador de estuques. Desloca-se mais tarde para Berlim, onde trabalhou com o arquiteto Bruno Paul e, a partir de 1908, com o arquiteto Peter Behrens, em cujo atelier conheceu Gropius e Le Corbusier. Em 1911 deixa o estúdio de Behrens, desenvolvendo individualmente alguns projetos, como o da Embaixada Alemã em Petersburgo ou o do arranha-céus na San Friedrichstrasse, em Berlim.
Esteve ligado ao movimento expressionista alemão "Novembergruppe" desde 1922, período em que realiza o Monumento a Karl Liebknecht y Rosa Luxemburgo.
Em 1926 torna-se vice presidente do Werkbund e, no ano seguinte, organiza a exposição do Weissenhof, em Estugarda, atividade que foi determinante para o convite formulado para o desenho do pavilhão Alemão na Exposição Internacional de Barcelona de 1929. Neste edifício condensa a sua pesquisa sobre a planta livre, valorizando as qualidades de continuidade e fluidez espacial, obtidas pela articulação de planos associados a uma materialidade acentuada pela oposição entre os valores de encerramento e de transparência. A casa Tugendhat, construída em 1930 em Brno, na Checoslováquia, representa a concretização dos conceitos arquitetónicos contidos no pavilhão de Barcelona num programa de habitação unifamiliar.
Em 1930, num momento em que acumula grande prestígio profissional, assume o cargo de diretor da escola Bauhaus. Vê, no entanto, a seu trabalho altamente condicionado pelas pressões provocadas pela situação política da Alemanha que tornam difícil a sobrevivência da escola. A mudança das instalações para Berlim, em 1932, não evitou o seu encerramento definitivo um ano depois.
Perante a instabilidade política da Alemanha, Mies emigra para os Estados Unidos, iniciando um novo ciclo criativo. Um dos primeiros projetos realizados neste país foi o Campus do Ilinois Institute of Technologie, iniciado em 1939 e só concluído em meados da década de 50 com a construção do Crown Hall. Todo o conjunto representa o culminar da monumentalidade técnica e construtiva da linguagem arquitetónica de Mies. A casa Farnsworth, construída no Ilinóis no final da década de 40 constitui um dos projetos residenciais mais radicais deste arquiteto. A casa apresenta um volume puro, definido por dois planos horizontais (cobertura e pavimento) flutuantes, sustentados por pilares metálicos que deixam livres as fachadas envidraçadas, e um espaço interior fluído, estruturado por um núcleo central de zonas de serviço.
Dos últimos projetos que realiza destacam-se a série de arranha-céus que projeta para Chicago, o edifício Seagram em Nova Iorque bem como a Neue Nationalgalerie em Berlim.
Como referenciar: Mies van der Rohe in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-10-13 21:48:16]. Disponível na Internet: