Artigos de apoio

modelo de comunicação
1. Modelo clássico da comunicação elaborado nos anos 40 por C. Shannon e W. Weaver. Nasceu das reflexões sobre a eficiência da transmissão dos sinais constituintes da mensagem telegráfica. Posteriormente, foi criticado devido ao seu carácter lineal e estático.
Contém os elementos seguintes:


Shannon e Weaver determinaram três níveis da problemática de comunicação:

1 - Problema técnico: quer dizer, a precisão da transmissão dos sinais.
2 - Problema semântico: precisão da significação veiculada pelos sinais transmitidos.
3 - Problema de eficácia: maneira como a significação recebida pode influenciar o comportamento do recetor.

O estudo dos autores mencionados desenvolveu principalmente o primeiro nível. O segundo nível é mais dependente dos fatores contextuais e interessava menos à engenharia da comunicação. O terceiro nível é diretamente relacionado com a pragmática do comportamento. Não obstante, Shannon e Weaver mencionaram a noção do efeito estético no caso da comunicação artística.

2. Modelo de Roman Jakobson. O linguista russo propôs um modelo lineal adaptado principalmente ao estudo da comunicação linguística.
Contém os elementos seguintes:

Contexto

Destinador Mensagem Destinatário

Contacto

Código

A cada um dos seis fatores constitutivos corresponde uma das funções de linguagem.
Num ato de comunicação as funções aparecem na ordem hierárquica e sempre há uma função dominante.

3. Modelo de H. Lasswell. Modelo concebido principalmente para o estudo da comunicação social. Lasswell propõe a reflexão baseada nos elementos seguintes:

Quem?
Comunica o quê?
Utilizando que canal?
A quem?
Com que efeito?

O efeito é compreendido como uma mudança comportamental do recetor.

4. Modelo interessante, foi proposto pela Escola de Palo Alto (EUA).
Os autores da teoria dos Axiomas da Comunicação criticaram os modelos anteriores como estáticos e demasiado lineares. Na opinião deles o fenómeno da comunicação tem de ser visto como um processo dinâmico, comparável com a orquestra sinfónica onde cada participante é consecutivamente, ou mesmo simultaneamente, o emissor (ou destinador) e recetor (ou destinatário). Uma mensagem é, ao mesmo tempo, um estímulo e uma resposta às mensagens anteriores. Da mesma maneira constitui o contexto para a mensagem posterior.

Como referenciar: modelo de comunicação in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2017. [consult. 2017-08-20 18:34:38]. Disponível na Internet: