Mogadíscio


Aspetos Geográficos
Capital da Somália, Mogadíscio situa-se no Sudeste do país, na costa do oceano Índico. Integrando a região de Benadir, a cidade encontra-se muito próxima da linha do equador, embora possua um clima muito árido e extremamente quente. Possui uma população de aproximadamente 1 200 000 habitantes (2006).

História e Monumentos A cidade foi fundada no século X pelos árabes, prosperando como importante área comercial que fazia a ponte entre o interior de África e o Médio Oriente. A mesquita de Fakr ad-Din, construída em 1269, ainda existe. Cerca de 1330, o conhecido viajante árabe Ibn Batuta chegou a Mogadíscio e descreveu-a como uma grande cidade, ficando também impressionado com a abundância de comida. Foi possessão portuguesa durante o século XVI, tendo depois sido ocupada pelo sultão de Zanzibar em 1871. O Palácio de Garesa, construído no final do século XIX para a administração do sultão, é hoje um museu e biblioteca. A Itália comprou a cidade em 1905 e tornou-a capital do território adjacente que conquistou, após forte resistência, em 1936. Durante a Segunda Guerra Mundial, a cidade foi ocupada pelos britânicos, que a governaram até 1952, altura em que os italianos regressaram para governar a Somália. Em 1960, o país atingiu a independência com Mogadíscio como capital. No início da década de 90, a cidade foi destruída por intensas lutas entre fações rivais que geraram o caos no país e obrigaram à intervenção de forças das Nações Unidas. Depois disso, o país e a cidade continuaram a viver momentos de grande instabilidade, luta armada e impossibilidade de manter a ordem.

Aspetos Turísticos e Curiosidades
Algumas das principais atrações de Mogadíscio incluem a cidade velha conhecida por Hammawein, o mercado de Bakara e a estância balnear de Gezira. A violência dos últimos anos tem condicionado de forma acentuada o desenvolvimento da cidade e o setor turístico. Apesar de tudo, mantém-se como o centro do país, possuindo ligações rodoviárias com outras cidades do próprio país e dos países vizinhos. O velho aeroporto internacional também foi seriamente destruído pelos combates, mas depois acabou por ser reaberto.


Economia
Mogadíscio funciona como centro comercial e financeiro do país. Apesar da guerra civil duradoura, a economia recuperou de forma sensível. Graças à quase inexistência de poder governamental, os negócios são feitos de forma fácil e quase sem incidência de impostos. As principais indústrias são as da alimentação, bebidas e têxteis, especialmente algodão. O seu porto tem também uma função primordial no comércio do país.
Como referenciar: Mogadíscio in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-05-25 14:33:17]. Disponível na Internet: