Monteiro Lobato

Escritor brasileiro, José Bento Monteiro Lobato nasceu a 18 de abril de 1882 na cidade de Taubaté, São Paulo (Brasil).
Filho de proprietários rurais, teve a possibilidade de empreender estudos superiores. Assim, após ter concluído o ensino secundário na sua terra natal, partiu para a cidade de São Paulo, onde ingressou no curso de Direito da Faculdade do Largo de São Francisco. Enquanto estudante, não só aderiu aos círculos literários que proliferavam na cidade, tendo sido membro da tertúlia Minarete, como deu também início a uma carreira como jornalista, contribuindo esporadicamente com alguns jornais.
No ano de 1911, e por morte do avô, coube-lhe em herança uma exploração agrícola. Querendo aproveitar a sua sorte, abandonou a cidade de Areias, onde residia desde há algum tempo, para se dedicar às lides do campo, não sem descurar o seu esforço literário. Publicou, nesta época, um artigo num periódico da capital, intitulado 'A Velha Praga', no qual expunha as suas ideias contra a prática corrente das queimadas. Esmorecido o seu entusiasmo pela agricultura, decidiu vender a sua quinta em 1917, rumando de novo a São Paulo, onde reapareceu com artigos de opinião que procuravam arrasar os futurismos que começavam a despontar no panorama artístico brasileiro.
Em 1918 publicou o seu primeiro livro, uma compilação de contos que levava o título de Urupês. No mesmo género, prosseguiu com Cidades Mortas (1919) e Negrinha (1920). Procurando dinamizar o seu talento, adquiriu a Revista do Brasil, para logo fundar a primeira editora brasileira, a Monteiro Lobato & Cia., que veio mais tarde a tornar-se na Companhia Editora Nacional. Entre as publicações da firma, figuravam sobretudo livros infantis, na sua maioria escritos pelo próprio Monteiro Lobato, e através dos quais passou à posteridade.
As histórias das célebres personagens da série 'O Sítio do Picapau Amarelo', como a boneca Emília, o Visconde de Sabugosa, o Saci e a Cuca, apareceram reunidas num único volume, publicado postumamente em 1950, com o título Literatura Infantil, Obras Completas II. Entre os vinte e seis contos, destacavam-se 'Nas Reinações de Narizinho', 'O Poço do Visconde' e 'O Picapau Amarelo e a Reforma da Natureza'.
Consagrou-se como romancista em 1926, ao publicar O Presidente Negro ou O Choque das Raças, obra polémica que considerava a possibilidade da ascensão de um candidato negro à Presidência dos Estados Unidos da América. Talvez não tanto por coincidência, Monteiro Lobato foi enviado àquele país no ano seguinte, na qualidade de adido comercial. Regressou de Nova Iorque em 1931, deslumbrado com o mundo fantástico norte-americano.
Acreditando firmemente que o Brasil deveria seguir o exemplo texano e proceder a uma prospeção intensiva em busca de petróleo, acabou por se tornar inconveniente em virtude da sua insistência. Preso por duas vezes, arruinou as suas finanças pessoais e a sua saúde nessa luta inglória.
Acabou por falecer, vítima de um derrame cerebral, a 4 de julho de 1948, na cidade de São Paulo.
Como referenciar: Monteiro Lobato in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-10-24 00:55:09]. Disponível na Internet: