narrador

O narrador é uma entidade fictícia a quem cabe o papel de contar a ação. É o sujeito de enunciação que apresenta a diegese, contando-a sob o seu ponto de vista.
Não se identifica com o autor, embora a sua voz se possa misturar com a dele. O autor é o ser real que constrói a narrativa, enquanto o narrador é um ser da própria ficção. O narrador pode estar na primeira pessoa, participando direta ou indiretamente na ação - narrador-personagem - ou na terceira pessoa, sem participação - narrador-observador. O primeiro, presente ou participante, diz-se autodiegético se assume o papel de personagem principal; e considera-se homodiegético se tem apenas o papel de personagem secundária. O narrador-observador, ausente ou não participante, designa-se heterodiegético se não toma parte nos acontecimentos nem interfere na história.
Ao contar a história, o narrador contempla as personagens e traça a sua análise, podendo apresentar um conjunto importante de dados sobre elas e sobre os acontecimentos. Quanto à ciência, se conhece tudo o que diz respeito às personagens e aos acontecimentos é narrador omnisciente; se adota o ponto de vista de uma personagem considera-se focalização interna; se conhece apenas o exterior da personagem e da ação, como se a sua visão fosse "de fora", diz-se focalização externa.
A posição do narrador é objetiva, quando se limita a contar os acontecimentos sem deixar que os seus sentimentos ou emoções transpareçam no seu decurso; é subjetiva se, na apresentação dos factos, há, claramente, uma posição emocional e sentimental do narrador.
Como referenciar: Porto Editora – narrador na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-10-23 09:17:18]. Disponível em