Nelson Rodrigues

Escritor e jornalista brasileiro nascido a 23 de agosto de 1912, em Recife, e falecido a 21 de dezembro de 1980. Desde cedo, começou a trabalhar no jornal A Manhã fundado pelo pai, no Rio de Janeiro, e depois em Crítica, outro jornal fundado pelo pai. Foi nas instalações da Crítica que se deu uma tragédia na vida da sua família, por causa de uma notícia que iria ser publicada no jornal, uma mulher assassina o seu irmão Roberto. O jornal foi encerrado pela polícia, meses mais tarde, aquando da vitória de GetúlioVargas. Pouco tempo depois, em 1936, Nelson começou a trabalhar para vários jornais, como Correio da Manhã, Última Hora e Jornal do Brasil. É nesta fase que começa a escrever textos variados, desde contos, folhetins, a crónicas. Começou a interessar-se por teatro e escreve a sua primeira peça em 1941, intitulada A Mulher Sem Pecado. Foi com a segunda peça que alcançou o reconhecimento do público e das pessoas ligadas ao mundo da representação.
Escreveu também crónicas, novelas para TV, romances, contos e filmes. São exemplos de obras suas a crónica O reacionário (1977), a novela televisiva A Morta no Espelho (1963), o romance Meu Destino é Pecar (1944), o conto A Vida como ela é...(1961) e o filme Perdoa-me por me traíres (1983).
Como referenciar: Nelson Rodrigues in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-10-17 08:12:16]. Disponível na Internet: