Neuschwanstein

Castelo ou palácio construído em 1869 por ordem do rei Luís II da Baviera (conhecido como "o Louco"), na encosta do monte Pöllat que domina a povoação de Hohenschwangau e os lagos Schwangau e Alp, a 965 m de altitude.
De linhas arquitetónicas bastante elaboradas, foi iniciado em 1869 e deixado por acabar em 1986, data da morte de Luís II, rei solitário e misantropo, admirador de Bismarck e protetor de Wagner, encontrado afogado no lago de Starnberg.
Este castelo dispendioso é uma excêntrica e romântica reconstrução de um castelo medieval, completado com um pátio amuralhado, um jardim interior, torres, flechas, para além de uma gruta artificial. Como patrono de Wagner, Luís II decorou o interior de pinturas que aludem às lendas e tradições que serviram de base às obras daquele compositor: a vida de Parsifal, na Sala dos Cantores, no 4.o andar; a saga de Tannhäuser, no estúdio; Lohengrin, na grande sala de visitas.
A sala do trono foi modelada como uma basílica bizantina. Estrelas decoram o teto azul abobadado, assente sobre duas colunas de pórfiro igualmente azul.
Hoje é uma importante atração turística dos Alpes alemães.
Como referenciar: Neuschwanstein in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-07-24 05:50:52]. Disponível na Internet: