Nick Nolte

Ator norte-americano, Nicholas Nolte nasceu a 8 de fevereiro de 1941, em Omaha. Predestinado a seguir uma carreira de desportista devido à sua imponente estatura física, Nolte foi durante sete anos jogador de futebol americano até que uma grave lesão num menisco o obrigou a abandonar uma promissora carreira. Com 19 anos, mudou-se com a família para Los Angeles, tendo-se matriculado no curso de Artes Dramáticas da Pasadena Playhouse. Em 1964, já com o diploma na mão, decidiu procurar novos horizontes e instalou-se em Nova Iorque, onde se juntou a grupos de teatro amador. No início da década de 70, foi presença constante em telefilmes e minisséries. A sua estreia no cinema foi obscura: Return to Macon County (1975) foi um filme de série B com a temática centrada na rebeldia juvenil e teve uma carreira comercial muito apagada. Contudo, os produtores da Universal repararam no potencial de Nolte e convidaram-no para protagonizar ao lado de Peter Strauss a série televisiva Rich Man, Poor Man (Homem Rico, Homem Pobre, 1976). Foi um êxito à escala mundial e catapultou a carreira de Nolte. O seu filme seguinte foi uma grande produção: The Deep (O Abismo, 1977) foi um filme de aventuras sobre um casal que dedica a sua vida a procurar um tesouro nos mares das Bahamas. As filmagens não correram bem devido à relação conflituosa com a atriz Jacqueline Bisset, pelo que os resultados comerciais se ressentiram um pouco. Depois de uma série de flops como Heart Beat (Um Bater de Corações, 1982) e Cannery Row (Bairro de Lata, 1982), Nolte juntou-se ao realizador Walter Hill e ao comediante Eddie Murphy para filmar o mega êxito 48 Hrs. (48 Horas, 1982) em que encarnava um temperamental polícia que se vê obrigado a recorrer aos serviços de um condenado para apanhar um perigoso ladrão. Contudo, apesar das suas potencialidades, Nolte iniciou uma "travessia do deserto", protagonizando falhanços comerciais como Under Fire (Debaixo de Fogo, 1983), Grace Quigley (Assassino à Força, 1985), Down and Out in Beverly Hills (Um Vagabundo na Alta Roda, 1986) e Three Fugitives (Os Três Fugitivos, 1989). A crítica considerava que Nolte estava a adotar um estilo linear de personagem revoltado e pouco versátil dramaticamente. Contudo, Nolte fez questão de desfazer esse mito com The Prince of Tides (O Príncipe das Marés, 1991), desempenhando uma personagem que encerra em si um conjunto de traumas emocionais derivados de uma infância violenta e que quando a sua irmã ameaça cometer suicídio resolve compartilhar as suas experiências com uma psiquiatra (Barbra Streisand). Nomeado para o Óscar de Melhor Ator, perdeu o prémio para Anthony Hopkins, mas restou-lhe a consolação de vencer o Globo de Ouro para Melhor Ator Dramático. Repetiu a nomeação sete anos mais tarde pelo drama Affliction (Confrontação, 1998), onde desempenhou o papel de um ajudante de xerife que vive num mundo de ilusões, afastando-se progressivamente da sua mulher, filho e amigos. Da sua filmografia posterior, destacam-se participações em The Thin Red Line (A Barreira Invisível, 1998), Northfolk (2003) e Hulk (2003).
Como referenciar: Nick Nolte in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-02-20 02:14:09]. Disponível na Internet: