Nigel Mansell

Piloto britânico de Fórmula 1, nascido em 1954, tornou-se popular devido à espetacular condução que sempre o caracterizou. Alcançou títulos em 1992, em Fórmula 1 e, em 1993, tornou-se o primeiro estreante a vencer o campeonato de Fórmula CART.
Nascido em Upton-on-Severn, uma pequena localidade inglesa de Worcestershire, Mansell foi começando devagar a sua carreira de piloto. Em 1979, depois de recuperar de um acidente em Fórmula 3 e de ter realizado uma época consistente, foi-lhe dada, por Colin Chapman, a oportunidade de experimentar um Fórmula 1 na equipa Lotus. Estreou-se oficialmente em 1980, no Grande Prémio da Áustria. Em 1982, depois da morte de Colin Chapman as relações com a equipa foram-se deteriorando e o piloto acabou por abandoná-la em 1984.
Em 1985, Frank Williams contratou-o para fazer dupla com Keke Rosberg na equipa Williams. A partir desse momento, Mansell passou a utilizar o número 5 pintado a vermelho no seu carro, característica que de certa forma o imortalizou e que chamava a atenção do público. Na passagem pela Newman Haas da Fórmula CART, Mansell também manteve este pormenor usando de novo o "red five". No ano de estreia na Williams ganhou o seu primeiro Grande Prémio em Brands Hatch, na Inglaterra. Em 1986, juntamente com Nelson Piquet, que se havia tornado seu companheiro de equipa, e Alain Prost, lutou até à última corrida pelo título mundial, porém o rebentamento de um pneu atirou-o para o segundo lugar do mundial. Em 1987, teve novamente azar, pois após ter vencido cinco corridas, um acidente na qualificação do Grande Prémio de Suzuka, afastou-o dos dois últimos Grandes Prémios do Campeonato Mundial. Mansell ficou novamente em segundo lugar.
Depois de uma época menos boa em 1988, devido à falta de competitividade dos carros da Williams, o piloto inglês ingressou na Ferrari, tornando-se o último piloto escolhido pessoalmente por Enzo Ferrari. Em 1991 regressou à Williams, após duas épocas marcadas pelos imensos problemas técnicos dos monolugares da Ferrari. Na escuderia britânica, Mansell voltou a utilizar o vermelho número 5. Neste ano, perdeu o campeonato para Ayrton Senna, mas voltou a vencer cinco Grandes Prémios numa só época. Em 1992, realizou a sua melhor época, venceu cinco corridas consecutivas num total de nove, o que na altura consistiu num recorde e tornou-se pela primeira vez campeão mundial de Fórmula 1.
Em 1993, a sua substituição por Prost na equipa Williams, levou-o para a Newman Haas da Fórmula CART. Logo na primeira corrida, tornou-se no primeiro estreante a vencer a primeira prova e a conseguir a pole position. Cinco vitórias nesse ano significaram o título na modalidade, o que até à data era inédito para um "rookie".
Em 1994, após a morte de Senna, Mansell ainda fez três corridas na F1, substituindo David Coulthard na Williams. Conseguiu uma vitória na última corrida. No ano seguinte, ainda disputou dois Grandes Prémios na McLaren, mas a falta de competitividade do carro levou-o a retirar-se da competição.
As 31 vitórias em Grandes Prémios levaram-no a ser o quarto piloto de sempre com mais vitórias na Fórmula 1, atrás de Michael Schumacher, Alain Prost e Ayrton Senna.
Como referenciar: Nigel Mansell in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-01-21 00:16:06]. Disponível na Internet: