Nikias Skapinakis

Artista plástico português, Nikias Ribeiro Skapinakis nasceu em Lisboa em 1931, cidade onde morreu a 26 de agosto de 2020

.

Skapinakis frequentou o curso de Arquitetura da Escola de Belas Artes de Lisboa, que abandonou por motivos políticos. Dedicou se à pintura de uma forma regular, expondo pela primeira vez em 1948, nas Exposições Gerais de Artes Plásticas e, desde então, realizou diversas exposições individuais e participou em numerosas coletivas em Portugal e no estrangeiro. Além da pintura a óleo, como atividade dominante, dedicou-se também à litografia, à serigrafia e à ilustração de livros

.

Pintor figurativo, a sua obra foi, muitas vezes, integrada no neo realismo dominante em Portugal, devido à polémica empreendida contra os abstracionistas. Mas o próprio artista, em 1958, na conferência Inatualidade da arte moderna considerou que "cinquenta anos de antirrealismo deixam-nos em pureza, para a aliciante descoberta de um realismo novo

".

Três fases distintas se podem demarcar na pintura de Nikias. A primeira caracteriza-se por dominantes ingénuas e populistas onde as suas pinturas são evocações paisagísticas que oscilam entre um lirismo de cores vivas e um paisagismo urbano. A segunda surge com a consciencialização abstrata da superfície plástica. É nesta fase que a sua pintura figurativa retratando personalidades da vida cultural portuguesa absorve elementos da arte pop britânica

.

Finalmente, a terceira define-se pela sobreposição de figuras e formas a fundos opacos, bem como pelo contraste entre o monocromático liso das superfícies e a vibração luminosa de amplas manchas recortadas. Nesta fase o artista sofre o "regresso à pintura" que tanto caracteriza a década de 1980 em Portugal

.

A partir de meados dos anos 80, a obra de Skapinakis evidencia uma crescente sofisticação, uma síntese formal e cromática entre a sua faceta mais romântica/expressionista e a sua faceta mais irónica/depurada de influência pop

.

É autor de um dos painéis do Café A Brasileira do Chiado (1971) e participou na execução do painel comemorativo do 10 de junho de 1974

.

Em 1985, o Centro de Arte Moderna da Fundação Gulbenkian apresentou uma exposição antológica da sua pintura, completada com uma retrospetiva da obra gráfica e guaches na SNBA

.

Em 1990 ganhou o prémio da crítica, Associação Internacional de Críticos de Arte - Secretaria de Estado da Cultura

. &

nbsp

;
Como referenciar: Nikias Skapinakis in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2021. [consult. 2021-05-06 11:23:15]. Disponível na Internet: