nobélio

O nobélio, cujo símbolo químico é No, é um elemento químico sólido, transurânico metálico, preparado por síntese, radioativo, pertencente ao grupo dos actinídeos, de cor branco-prateada ou acinzentada que se localiza no grupo 3 e período 7 da Tabela Periódica.
Este elemento possui número atómico 102 e massa atómica 259,1009.
O seu isótopo mais estável, o nobélio-254, possui uma meia vida de cerca de 55 segundos. Já foram sintetizados sete isótopos de vida curta com número de massa compreendido entre 250 e 259. O nobélio foi descoberto em 1957, na Suécia, no Instituto Nobel da Física pelos cientistas P. R. Fields, A. M. Friedman e outros colaboradores e mais tarde, em 1958, na Universidade da Califórnia em Berkeley, nos Estados Unidos da América, pelos cientistas Glenn T. Seaborg e outros. A descoberta deste elemento resultou do bombardeamento de isótopos de cúrio-244 com iões carbono-13.
O seu nome é uma homenagem ao químico e industrial sueco Alfred Nobel (1833-1896), fundador dos prémios Nobel.
O nobélio não ocorre naturalmente na Natureza. Este é estudado em poucos laboratórios de investigação, onde a sua elevada radioatividade requer cuidados especiais de manuseamento e técnicas apropriadas.
O nobélio não possui aplicações.

Como referenciar: nobélio in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-07-23 20:39:27]. Disponível na Internet: