Noite Branca: Itinerário para uma Viagem ao Mundo num Ato

Peça levada à cena pelo Teatro de Ensaio de Vila Real. A intriga joga essencialmente com dois intertextos: o de uma notícia publicada num jornal, sobre um motorista que "fere colega a tiro por problemas de Mulheres", e o de uma telenovela que passa na televisão durante as primeiras cenas da peça, baseada no Amor de Perdição de Camilo, e pela qual se anuncia o duplo tema do adultério e da vingança da honra.

A cena passa-se num bar. Depois de um diálogo entre as personagens principais, Armando, um camionista, e Margarida, uma prostituta, um outro camionista, Silva, entra e desfere um tiro sobre Armando, para limpar a honra de uma mulher; depois do assassínio, oferece dinheiro a Margarida para sair com ele.
Para além da intriga amorosa pouco esboçada, o que estará em jogo é a capacidade de Margarida, "ser-sem-escolha" (BRANDÃO, Fiama Hasse Pais - prefácio a Noite Branca, Lisboa, 1982), diante de uma situação de escolha (vender-se ou não ao homem que matou o homem que terá amado) ser capaz ou não de optar, de "pensar".

Assim, a "temática de Noite Branca insere-se no ponto de choque entre o envolvimento social (questão de classe) e a consciência individual da destruição que esse envolvimento ou pressão de um poder determinam [...] conflito, precisamente, em que a consciência dos dois protagonistas - Armando e Margarida - procura opor-se, em graus diferentes, à pressão da situação." (id. ibi.).

Terceiro protagonista, o discurso da televisão (publicitário, cinematográfico, político) funciona quer como embrayeur dos discursos das personagens que comentam esses discursos ou que se reveem nas cenas televisivas, quer como um discurso alienado, em contraste ou indiferente à tensão e situações-limite com que se veem defrontadas as personagens.
Como referenciar: Noite Branca: Itinerário para uma Viagem ao Mundo num Ato in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-15 03:06:03]. Disponível na Internet: