Notas. Ensaios de Crítica e Literatura

Livro de ensaios que, segundo o autor, refletiria a sua evolução pessoal desde 1870 até à data, podendo funcionar como "documento" para "o estudo da dissolução do romantismo em Portugal, sob o influxo da intensa corrente de espírito científico que está revolucionando o mundo e particularmente a Europa contemporânea". O volume apresenta-se dividido em quatro partes: "Carteira de um positivista", que reúne artigos de teor sociopolítico, onde Alexandre da Conceição manifesta o seu anticlericalismo; "Esboços de crítica", contendo textos de crítica literária; "Estudos do natural", que recolhe impressões de viagem e artigos sobre escritores como Guilherme Braga ou Custódio José Duarte; e "Fototipias em prosa", que apresenta retratos de figuras como António Rodrigues Sampaio e Rosalindo Cândido. Tendo denunciado, no capítulo "Anarquia de exame", a "indisciplina intelectual" decorrente da "falta de convicções robustas e de princípios definidos", o autor aponta o positivismo de Augusto Comte como a filosofia capaz de regular as diversas atividades do espírito humano e o Realismo como a sua "incarnação artística". A "renovação literária" passaria necessariamente pela substituição do "velho e impalpável ideal romântico" por "um novo ponto de vista estético, dado pela compreensão positiva das condições reais do universo". Alexandre da Conceição reconhece que "a literatura não é um produto isolado, arbitrário e caprichoso do espírito humano", mas antes "a resultante de um certo número de influências sociais de toda a ordem", defendendo que a função da crítica moderna é "estudar e explicar o aparecimento, a direção e a intensidade das correntes de pensamento e da vida moral".
Como referenciar: Notas. Ensaios de Crítica e Literatura in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-11-21 05:39:01]. Disponível na Internet: