Novaciano

Antipapa, de origem oriental, foi para Roma durante o pontificado de São Fabião (236 -250) e ordenado presbítero por este, apesar de contrariar o costume de não se poder ordenar alguém que tinha sido batizado apenas por estar às portas da morte, como terá acontecido a Novaciano algum tempo antes.
Esta ordenação resultou do grande apreço que São Fabião tinha pelas qualidades de Novaciano, delegando-lhe depois tarefas de grande responsabilidade, como responder às dúvidas postas por diversas igrejas da Cristandade referentes à disciplina e à doutrina.
Após a morte de Fabião em 250, porque não se elegeu papa durante cerca de um ano devido às perseguições de Décio, Novaciano desempenhou as funções principais, com a esperança de se tornar o sucessor. Contudo, os cristãos preferiram eleger São Cornélio, pela sua clemência para com os que tinham abdicado da doutrina cristã aquando das perseguições e que agora queriam voltar a pertencer à Igreja. A doutrina intransigente preconizada por Novaciano caracterizava-se, entre outras coisas, pela exaltação da castidade, da fidelidade conjugal (mesmo após a morte do cônjuge não se poderia a voltar a casar) e pela proibição da assistência a espetáculos como o circo. Novaciano tornou-se assim um antipapa, suportado por três bispos.
Escreveu, além de algumas outras, uma obra denominada Sobre a Trindade, que dizia ser o Filho subordinado ao Pai e o Espírito Santo ao Filho, que podia ser considerada herética.
Morreu em plena perseguição de Valeriano, cerca do ano 258, sendo considerado confessor ou mártir. Crê-se que uma sepultura encontrada em 1932 na Via Tiburtina será aquela em que Novaciano foi inumado.
Como referenciar: Novaciano in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-11-13 20:46:22]. Disponível na Internet: