O Inseticida ou O Fim do Império!

Esta edição atualizada baseia-se na edição em um ato, editada pela primeira vez em 1967 e reeditada em edição bilingue (português e francês) em 1993. Em 1975, a peça foi objeto de uma edição em três atos, aquando da sua estreia em palco, em 6 de maio de 1975, pelo Teatro do Nosso Tempo. A representação de O Inseticida foi proibida em Portugal, em 1967; em Barcelona, em 1975; e no Brasil, em 1984. Paródia aos preconceitos e estigmas impostos ao homem pela sociedade tecnocrata, coloca em cena o administrador de uma empresa de inseticidas e um funcionário que, vindo mais uma vez solicitar um aumento salarial, se vê preso numa atmosfera camusiana de poderosos efeitos cómicos. A atualização da peça lança mão das novas condicionantes do contexto económico-político português: o pedido de aumento é considerado uma traição porque "somos um país pobre. [...] As colónias já não existem. E a CEE está falida [...] Temos os capitalistas mais pobres da Europa."
Como referenciar: Porto Editora – O Inseticida ou O Fim do Império! na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-10-26 14:18:26]. Disponível em