Obra Epistolográfica

Na edição de Juromenha, estão incluídas sete cartas. Destas, a segunda e a terceira complementam-se, a quarta acompanha as glosas feitas pelo poeta ao mote fornecido por D. Francisca de Aragão e a quinta é um fragmento de uma epístola escrita a D. Francisco de Almeida. Quanto à sétima, que foi publicada pela primeira vez por Juromenha, nada nos garante que seja de Luís de Camões.
As restantes cartas são documentos autobiográficos.
A primeira, talvez escrita em Ceuta, detém um estilo cultista, recorrendo a jogos verbais e a enigmas conceptistas, deixando transparecer o "desconcerto" sentimental que envolvia o autor.
A quarta carta, escrita na Índia, reflete também um clima contraditório de euforia e tristeza, assim como o confronto entre a vida atribulada de Lisboa e a tranquilidade experimentada no Oriente. As outras duas cartas descrevem a vida noturna e de boémia que levara na cidade de Lisboa, através de episódios pitorescos e eróticos vividos nas "acolheitas das ninfas de água doce" - referência às ninfas do Tejo.
Como referenciar: Obra Epistolográfica in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-10-19 17:23:47]. Disponível na Internet: