Artigos de apoio

Odysseus Elytis
Poeta grego, Odysseus Alepoudelis nasceu a 2 de novembro de 1911, em Heraclion, na Ilha de Creta. Oriundo de uma família influente de industriais de saponificação, acompanhou a mudança dos pais para Atenas, onde recebeu a sua educação.
Após ter concluído os seus estudos secundários em 1930, ingressou no curso de Direito da Universidade de Atenas mas, descobrindo a poesia, abandonou as aulas ao fim de cinco anos infrutíferos. Nesse ano de 1935 foi inserido no negócio familiar, dedicando os seus tempos livres à composição de poemas, que foi publicando na revista Ta Nea Grammata.
Em 1937 frequentou a Escola de Cadetes, promovida pelos oficiais da reserva e, após a invasão da Grécia pelas tropas alemãs no âmbito da Segunda Guerra Mundial, juntou-se ao movimento da Resistência, servindo como alferes (segundo-tenente) na Campanha da Albânia, entre 1940 e 1941. Nos anos 40 publicou uma coletânea dos seus trabalhos intitulada Prosanatolismoi (Orientações). Em 1943 o seu poema Asma Hèròiko Kai Penthimo Gia Ton Chameno Anthypolochago Tés Alvanias (Canção Heroica e Elegíaca em Memória do Segundo Tenente da Campanha Albanesa), escrito na altura da ocupação da Grécia pela Alemanha Nazi, tornou-o numa espécie de profeta para os gregos, uma vez que os auxiliou a recuperar a autoestima.
Em 1945 foi nomeado diretor de programação da Fundação Nacional da Rádio grega, mantendo sempre uma colaboração ativa com a imprensa. Em 1948 mudou-se para Paris e ingressou no curso de Literatura da Sorbonne. Teve oportunidade de conhecer personalidades de relevo como André Breton, Pablo Picasso e Henri Matisse, e de viajar um pouco por toda a Europa, sendo o representante grego em vários congressos dedicados à crítica artística e literária.
De regresso à Grécia em 1953, assumiu um papel preponderante na organização da vida cultural do país, ligando-se mais intensamente ao Teatro Nacional. Publicou, entre outras obras, O Ilios O Iliatores (1971), Maria Nefeli (1978) e Ho Mikros Nautilos (1986).
Considerado como o poeta do Sol, Odysseus Elytis foi um grande cultor do Helenismo em toda a sua extensão histórica.
Foi galardoado com o Prémio Nobel da Literatura em 1979.
Odysseus Elytis faleceu a 18 de março de 1996.
Como referenciar: Odysseus Elytis in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2017. [consult. 2017-12-11 20:41:05]. Disponível na Internet: