Opera

O Opera, uma aplicação designada por Internet browser ou Navegador Internet, foi concebido pela empresa norueguesa Opera Software ASA, sediada em Oslo. Em 1996, foi lançada publicamente a primeira versão Opera – Opera 2.1 e disponibilizada uma versão shareware na Internet para a plataforma Windows. Esta aplicação começou a receber, desde o início, grandes elogios pelo seu pequeno tamanho, rapidez e estabilidade.
Este browser não só sobreviveu num mercado duro e competitivo como se tornou num rival para os dois browsers mais populares – o Netscape Navigator e o Microsoft Internet Explorer. No entanto, o Opera nunca teve a projeção destes pois, ao contrário destes, este navegador não é gratuito.
O Opera foi desenvolvido para correr em sistemas operativos diversos. Para além do Microsoft Windows, este software pode correr em sistemas operativos alternativos como o Linux, BeOS, OS2 e Macintosh, sendo esta uma das suas principais vantagens relativamente aos seus rivais.
Outra vantagem é que o Opera funciona em ambientes onde o Microsoft Internet Explorer e o Netscape Navigator ainda não penetraram, tais como Palm Tops, Set Top Boxes, PDA e Symbian, baseado nos telefones Nokia.
Este Internet Browser é capaz de suportar funcionalidades e protocolos como o e-mail, Java, Plug-ins, HTML, CSS2, Shockwave, portas de plataformas alternativas, imagens, Usenet, cookies, XML, FTP, Java Scripts, disk caching, secure site access e instant messaging, entre outros.
A versão Opera 6, lançada a 29 de novembro de 2001, é a primeira versão que iguala, em termos de funcionalidades, os seus rivais e, segundo os seus autores, ultrapassa-os em muitos aspetos críticos. Nesta versão foi introduzida a funcionalidade Unicode, que permite aos utilizadores a visualização de páginas Web em linguagens alternativas, e foram introduzidos vários melhoramentos ao nível da interface com o utilizador.
Com a versão 6, o Opera tornou-se no primeiro browser a fornecer traduções. Traduzir um texto passa a ser tão fácil como selecioná-lo, carregar no botão direito do rato e escolher a língua pretendida. Em 2003 foi lançado o Opera 7, com algumas melhorias a nível tecnológico para a exibição de conteúdos da Web, e um novo cliente de e-mail e newsgroups chamado M2. A versão 7.5, lançada em maio de 2004, incorporou outras novidades, como um cliente de IRC e um leitor de newsfeed RSS.
A 20 de junho de 2006, e após várias versões com pequenas modificações, é lançado o Opera 9, para os sistemas operativos Windows, Mac, e Linux. Esta nova versão inclui funcionalidades inovadoras, como sejam o bloqueador de publicidade indesejada e "pop-ups", a integração de um clinte de BitTorrent próprio, ou ainda a possibilidade de utilização de "Widgets" – pequenas aplicações simples, passíveis de serem integradas no browser que permitem aceder a diferentes serviços, como as previsões meteorológicas, títulos de jornais, calendários, dicionários, etc.
A 5 de setembro do mesmo ano é lançada uma versão específica para os dispositivos portáteis, como Tablet-pc, PDA e telefones celulares de última geração.
A integração do Opera browser no mundo das consolas também foi uma aposta em 2006, com a sua inclusão na Nintendo DS, ainda em janeiro, e a disponibilização de uma versão para a Nintendo Wii, a 22 de dezembro.
A título de curiosidade, a 6 de março de 2007 a Opera regista a criação pelos utilizadores do milésimo primeiro Widget para o seu browser.
Como referenciar: Porto Editora – Opera na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-12-02 12:51:07]. Disponível em